COST-BENEFIT // CUSTO/BENEFÍCIO

🇺🇸 To create movement is the ultimate goal for the leaderactive. Creating movement has the challenge of bringing people together and align their mind and actions towards a better reality. Don’t think it’s easy. One of the most difficult things to do is to create unity between people with different backgrounds.
 The leader can make the call, motivate, organize, but at the end every person will respond according to his/her own interests and convictions. Some will step out. For as strong as the leader’s influence can be, every personal decision is made on the cost-benefit basis. People can be motivated to follow a movement, but they will always confront with the costs of making that decision. How to handle that?
 Cost-benefit is for personal and management decisions too. In a company, a huge part of the profit is based on the cost-benefit equation. The ideal is to have high benefits with low costs. But there’s another factor to be considered here: the yield. It’s not only about what costs and what we’re getting now. It’s about how much it’ll generate. I was listening to a cooking class and the lady was showing how to make bread. Interesting part was when she taught how to make the yeast out of the dough to be used to make another bread. The cost-benefit is the bread being baked, the yield is the power to generate another one.
 The leaderactive will help people to see beyond the gains. The equation is different when we see how much the gain can generate. One bread is a good income, but two breads out of one dough is a yield.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Criar movimento é o objetivo maior do liderativo. Ao criar movimento surge o desafio de juntar pessoas e alinhar sua mente e ações em direção a uma realidade melhor. Não pense que é algo fácil. Uma das coisas mais difíceis é criar unidade entre pessoas com tantas diferenças em suas realidades.
 O líder pode chamar, motivar, organizar, mas no final cada pessoa vai responder de acordo com seus próprios interesses e convicções. Alguns vão abandonar. Por mais forte que seja a influência do líder, cada decisão pessoal é baseada na análise de custo/benefício. Pessoas podem ser motivadas a seguir um movimento, mas sempre confrontarão os custos de tomar essa decisão. Como lidar com isso?
 Custo/benefício pode ser tanto para decisões pessoais quanto para administrativas. Numa empresa a maior parte do lucro é baseado na equação custo/benefício. O ideal é benefício alto e custo baixo. Mas outro fator pode ser considerado: o rendimento. Não é só o quanto custa e o quanto ganha agora. É o quanto vai gerar também. Estava ouvindo uma aula de culinária e a palestrante mostrou como fazer pão. Foi interessante quando ela mostrou como fazer fermento da própria massa do pão para ser usado para fazer outro pão. O custo/benefício é o pão assado, o rendimento é o potencial para gerar um outro pão.
 O liderativo vai ajudar pessoas a ver além dos ganhos. A equação é diferente quando vemos o quanto o ganho pode gerar. Um pão é um bom ganho, mas dois pães feitos de uma massa só é um rendimento. 
É isso.
Denison 

BUSY & PRODUCTIVE // OCUPADO E PRODUTIVO

🇺🇸 Time is the most precious asset we have. It creates the opportunity to all situations, to make things happen, to make things develop, to make things come to maturity. Time is the opportunity, nothing will come to a point by itself. When we add talent to the time we have productivity.
 Productivity means results and that’s the reason we do things, we want results. Thinking on leadership, results are the ultimate goal for a leader. Everything is about results. When we talk about creating movement, the action of the leaderactive, the top result is not only to create a movement, but also getting people involved, so as the movement goes, they can develop their own, as part of the whole thing. 
 When we become part of a movement we have to be busy, making things happen. Being busy can be tricky, because creates the sense of producing results, but can be only a way to do things with no results necessarily. Both being busy and productive are necessary. It’s like a kitchen sink faucet. Modern faucets have the regular exit for streaming water and the spray function. The faucet keeps the water busy, flowing continuously, while the spray works direct to a spot, where it needs. Results come when we’re productive, but we also have to be working, nothing will come if we are stuck. Busy and productive work together.
 We can use time to get into good results. It’s not about just being busy all the time, because if the faucet keeps flowing all the time, the result will be a kitchen floor totally wet and that wouldn’t be a good result!
That’s it. 
Denison 

🇧🇷 Tempo é o bem mais precioso que temos. Cria a oportunidade para todas as situações, pra fazer coisas acontecerem, desenvolverem e chegarem ao ponto de maturidade. Tempo é a oportunidade, nada vai acontecer por si mesmo Quando acrescentamos talento ao tempo, temos a produtividade.
 Produtividade significa resultados e esta é a razão por fazermos coisas, queremos resultados. Pensando em liderança, resultados são o objetivo máximo de um líder. Tudo tem a ver com resultados. Falando em criar movimento, a ação do liderativo, o resultado maior não é somente criar movimento, mas também envolver as pessoas, assim à medida que o movimento segue as pessoas se desenvolvem.
 Se somos parte de um movimento temos que estar ocupados, fazendo coisas acontecerem. Estar ocupado pode ser complicado, cria um senso de produzir resultados, mas pode ser apenas agitação. É necessário estar ocupado e ser produtivo. É como torneira da pia da cozinha. Torneiras modernas têm o cano de fluxo de água e a função de jato. A torneira mantem a água ocupada, fluindo continuamente, o jato funciona em um ponto específico, quando precisa. Resultados vêm se somos produtivos, mas temos que agir também, nada acontece se estivermos parados. Ocupado e produtivo andam juntos.
 Usamos o tempo para ter bons resultados. Não se trata de estar sempre ocupado, porque se a torneira ficar jorrando água o tempo todo, vai inundar o chão da cozinha e isso não vai ser um bom resultado!
É isso. 
Denison 

ANTICIPATION // ANTECIPAÇÃO

🇺🇸 Time is very important in leadership. Depending on the moment a person can move from spectator to the protagonist role. The leaderactive works hard to develop a good relationship with time. A good action can be completely bad if it’s done in the wrong time. The challenge is to understand the rhythm of time.
 What means “to develop a good relationship with time”? There are two important things we should know about time: it moves forward and it leaves us the record of what happened. The first one is obvious, but there’s one detail: it doesn’t mean things will stay the same. The leaderactive will remember that. Things are going to become different, somethings are going to be better, while other worse.
 What makes a thing to turn into something better or worse? If we understand the record of time, we can develop a reading of the factors causing the changes and what’s the timeframe when the changes happen. Of course, considering that time makes things to change, let’s remember the conclusions will not be 100% precise. We’ll have a closer perception of how things happen. After reading that, a leader will take action. That’s why the leaderactive anticipates over the events, because he/she understands which influence is making things worse and which factors can improve things to become even better.
 It’s like the fuel gauge. We know it’ll move to empty, we know the milage will have impact on it, we can follow its movement towards empty, but the time when we’ll stop to refuel it’ll make the whole difference.
That's it.
Denison 

🇧🇷 O tempo é muito importante na liderança. Dependendo o momento alguém pode passar de espectador para protagonista. O liderativo da duro para desenvolver um bom relacionamento com o tempo. Uma boa ação pode ser totalmente ruim se for feita na hora errada. O desafio é entender o ritmo do tempo.
 O que significa “ter bom relacionamento com o tempo”? Têm duas coisas importantes para sabermos sobre o tempo: ele segue pra frente e deixa um registro do que aconteceu. A primeira é óbvia, mas tem um detalhe: não quer dizer que as coisas vão permanecer as mesmas. O liderativo vai lembrar disso. As coisas vão se tornar diferentes, algumas vão ficar melhores, enquanto outras piores.
 O que torna algo melhor ou pior? Se entendemos o registro do tempo, vamos poder fazer uma leitura dos fatores que causam as mudanças e em que frequência as mudanças ocorrem. Claro que considerando que o tempo muda as coisas, vamos lembrar que as conclusões não serão 100% precisas. Teremos uma percepção aproximada de como as coisas acontecem. Fazendo a leitura, um líder vai agir. Está é a razão pela qual o liderativo se antecipa aos eventos, porque entende qual influência está fazendo as coisas serem piores e quais fatores podem fazer as coisas serem melhores.
 Olhe pro medidor de combustível. Sabemos que vai chegar no vazio, que a quilometragem tem impacto nisso, podemos seguir seu movimento, mas o momento de parar e reabastecer vai fazer toda diferença. 
É isso.
Denison 

DRIVERLESS CARS // CARROS AUTO-DIRIGÍVEIS

🇺🇸 One of the subjects of the moment. The transportation system is going through changes that will create unusual conditions for almost everybody. So far, we can tell that a lot of work in technology have been done and we don’t know yet when this impressive changes are going to happen.
 We’re expecting that there’ll be more intelligent cars running and people will start to use more and more the services that drive passengers from one point to another rather than having the ownership of a car. It’s like one thing will lead to the other and soon we’ll know how our life will be really affected by that.
 What the automotive industry says is they are not building a car, they are building a driver. So is not about the design, or the power of the car, is about the nature of the intelligence behind all the electronic processors. How to make a machine to respond positively and safely in an environment where lives are at risk. According to them, they are trying to prove that is possible. An interesting declaration shows the industry has all the technology that they need. “When you’re 90% done, you still have 90% to go”. Emblematic, right? Then it’s explained, “90% of the technology takes 10% of the time”. It’s like when you about to make a trip. There’re a lot of things to do when you’re packing, and while the one thing, which is to leave from where you are and to arrive at the destination, is what will take longer.
 Dealing with time could be frustrating. It’s very difficult to predict when things will happen. We can try our best, but time can be tricky. If you waiting for the future, remember, it’ll come with nobody at the wheel. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Um dos assuntos do momento. O sistema de transporte vai passar por mudanças que vão criar condições incomuns para a maioria. Até agora, podemos dizer que muito trabalho em tecnologia tem sido feito e não sabemos ainda quando essas mudanças vão acontecer.
 Esperamos por mais carros inteligentes nas ruas e pessoas usando mais dos serviços de transporte de passageiros de um ponto ao outro, ao invés de terem a propriedade de um carro. Uma coisa vai levar à outra e logo vamos saber como nossa vida vai ser realmente afetada com tudo isso. 
 O que a indústria automotiva diz é que não estão construindo um carro, mas sim um motorista. Não se trata de design ou potência do carro, e sim da natureza da inteligência por detrás de todos aqueles processadores eletrônicos. Como fazer uma máquina responder segura e positivamente em um ambiente onde vidas estão em risco? Eles dizem que isso é possível. Uma declaração interessante diz que a indústria tem toda tecnologia que precisam. “Quando você fez 90%, ainda tem mais 90% pra fazer”. Emblemático, né? A explicação segue, “90% da tecnologia toma 10% do tempo”. É como quando você vai viajar. Tem um monte de coisas pra fazer enquanto está arrumando as malas, enquanto uma única coisa, que é sair de onde está e chegar ao destino, é o que vai levar mais tempo.
 Lidar com o tempo é frustrante. Difícil prever quando tudo vai acontecer. Podemos fazer o melhor, mas o tempo nos surpreende. Se você espera pelo futuro, lembre que ele vai chegar sem ninguém ao volante.
É isso.
Denison 

PHOTO FRAME / PORTA RETRATO

🇺🇸 I don’t like to generalize, but I think it’s one of the most common things we can see. Most of them come as a gift. End of the year, Secret Santa, it’s almost impossible not to see one of them around, easily identified as a wrapped rectangle. Usually anybody complains if ends up taking one of them to home.
In fact we have pictures, we can print them at home, so it’s easy to get one photo, frame it and put it over the console table. Every time people come to the house for a visit, it’s an excellent distraction to look to the collection of photo frames and talk about every situation and memory each one of them brings. 
In a lovely way, we do something that’s almost impossible: we freeze the time. Every photo frame freezes a fraction of the time and puts in front of us that moment and everything that it represents. We can talk for a long time about a funny or interesting episode related to that picture. For those who are telling the story, time is frozen, like we can revive the same sensations left in the past and retained in a frame.
What if we could freeze time? Which moments would you frame and keep over your furniture? Why? Just to keep the feelings? What to do with those feelings? Are they making our life better or hurting us even more? What would we say to people when they ask us about it? Would we want to bring them back? 
It’s good the photo frame only holds the picture. We wouldn’t know what to do with those moments. We've struggled to deal with the moments in the present, imagine have to keep dealing with it’s already gone! 
That’s it.
Denison

🇧🇷 Não gosto de generalizar, mas acho que é uma das coisas mais comuns que vemos por aí. A maioria vem como presente. Fim de ano, Amigo Secreto, é quase impossível não ver um deles, facilmente identificável como um embrulho retangular. Normalmente quem leva um pra casa não acha ruim.
Na verdade temos fotos, podemos imprimi-las em casa, então é fácil pegar uma foto, colocar na moldura e por sobre a mobília. Toda vez que alguém vem visitar é uma excelente forma de distração olhar a coleção de porta retratos e conversar sobre cada uma das situações e lembranças que cada uma traz.
De uma forma amável, fazemos algo quase impossível: congelamos o tempo. Cada moldura congela uma fração do tempo e poe em nossa frente aquele momento e tudo o que significa. Falamos por longo tempo sobre um episódio engraçado ou interessante relacionado com a foto. Pra quem conta a história, o tempo congela, como se pudéssemos reviver as sensações deixadas no passado e retidas na moldura.
E se pudéssemos congelar o tempo? Quais momentos poríamos na moldura sobre a mesa? Por que? Só pra manter os sentimentos? O que fazer com eles? Estão fazendo nossa vida melhor ou nos ferindo mais? O que diríamos às pessoas quando nos perguntarem sobre eles? O que traríamos de volta?
O bom é que a moldura só guarda a foto. Não saberíamos o que fazer com esses momentos. Já temos lutado com os momentos do presente, imagine ter que lutar também com aquilo que já se foi!
É isso.
Denison