BOTTLE // GARRAFA

🇺🇸 Every seed has its own time to germinate. That time is related with the kind of tree it’ll become. In nature it doesn’t matter when the seed will bloom. We are more concerned about time. If we don’t interfere everything is going to be ok. Same with words. If we take care of them, they will flourish on the right time.
 Today’s word is BOTTLE. There’s no mystery on its etymology. Bottle comes from the french boteille, from the latin butis, a latinization of the greek bouttis. The meaning is a “vessel”, a recipient most used to hold liquid. In ancient times it could be made of leather and clay. Glass bottles were first produced in east Asia around the year 100 B.C. It was not only good to carry, but also to preserve the liquid inside.
 Glass, aluminium, plastic, ceramic, thermal, vacuum, insulated are just few examples of products used to make bottles today, not mention the huge variety of shapes. There is one thing very interesting in bottles. It’s not about it’s utility, but it’s how the bottle doesn’t change with the content inside. You can drop hot or cold, creamy or watery, the content will take the shape of the bottle. This is consistence. Think about a lot of things that are becoming part of our life these days. Are those things changing the form of what we are, or are we strong enough to let them stay in our life not changing the essence of what we are?
 How confident would you be with a bottle that looses its shape and isn’t strong enough to hold the content? Don’t think about the others, this is something you should be concerned about yourself.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Sementes têm seu tempo para germinar. Esse tempo está relacionado com o tipo de planta que se tornarão. A natureza não se preocupa com o tempo. Nós é que nos preocupamos com ele. Se não interferirmos tudo vai ficar bem. As palavras também. Se cuidarmos delas, germinarão no tempo certo.
 A palavra de hoje é GARRAFA. A palavra foi tomada do árabe gurfit, que vem de garafa, que significa “servir”. Era o recipiente usado para guardar líquidos e usado para que as pessoas fossem servidas com ele. Nos tempos antigos eram feitas de couro e barro. Garrafas de vidro foram primeiramente produzidas no leste da Ásia por volta do ano 100 a.C. Boas para carregar e também para preservar o conteúdo.
 Vidro, alumínio, plástico, cerâmica, térmicas, a vácuo, são alguns exemplos dos tipos de garrafas que são fabricadas hoje, sem mencionar a grande variedade de formatos. Tem uma coisa interessante nelas. Não apenas sobre a utilidade, mas como garrafas não mudam por causa do conteúdo. Você pode derramar liquido quente ou frio, cremoso ou ralo, que não vai mudar a sua forma. Isso é consistência. Pense em quantas coisas que fazem parte da nossa vida hoje. Elas estão mudando o formato do que somos ou somos fortes o suficiente para não permitir que mudem a essência do que somos?
 Quanta confiança você teria numa garrafa que muda de forma e não é forte o suficiente para manter o conteúdo? Não pense nos outros, isso é algo que você deveria se preocupar consigo mesmo. 
É isso.
Denison 

Advertisements

EXISTENCE // EXISTÊNCIA

🇺🇸 We’re living in an era very much influenced by the ideas of the existentialism. What some could call “the rediscovery of the human individual”. One of the thoughts that had a huge impact came from René Descartes: “I think therefore I am”. He explained: “we cannot doubt of our existence”.
 As seeds, words are filled with life. If we could say that we’re aware of our existence when we think, so when we speak our words share life to others, like a pollination. Life gains a wider perspective when we share to each other what we live. And that brings to today’s word: EXISTENCE. That’s not our essence, because our essence is the source where we come from, but existence connects us with that source.
 The root of the word is the latin and I like to go to the etymology because enriches our understanding. We have ex, which means “out”, “directing to a point” and sistere, which means “take a stand”. The modern idea of existence is more related with something steady, just like a presence. In fact, what the word really means is existence is a purpose for something, it’s not a random experience. The sooner we find the reason we’re stood for, the brighter life will be. That’s the question! How to find the purpose to life? Think! Think! If existence comes from thinking, we’ll find the reason connecting your thoughts with the source.
 Doubting and thinking are related. When we question, we start to look for answers. If we’re looking for answers, we’ll find options. Options will give us the power of choosing. Purpose will come with choices. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Vivemos numa era muito influenciada pelas ideias do existencialismo. O que poderíamos chamar de “redescoberta do indivíduo humano”. Um dos pensamentos de grande impacto veio de Rene Descartes: “Penso, logo existo”. Ele explica depois: “não podemos duvidar de nossa existência”.
 Como sementes, palavras são cheias de vida. Se podemos estar conscientes da existência porque pensamos, quando falamos nossas palavras partilham vida com outros, como uma polinização. A vida ganha mais perspectiva quando compartilhamos. O que nos leva à palavra de hoje: EXISTÊNCIA. Ela não é nossa essência, porque nossa essência é a fonte de onde vimos. Existência nos conecta à fonte.
 A raiz da palavra é o latin e gosto de etimologia porque enriquece o entendimento. Temos ex, que significa “para fora” e sistere, que significa “tomar uma posição”. A ideia moderna de existência é mais ligada a algo parado, como uma presença. Na verdade o significado da palavra indica que existência é algo com um propósito, não um acaso. Quanto mais rápido descobrirmos a razão de existirmos, mais iluminada a vida vai ser. Eis a questão! Como encontrar o propósito para a vida? Pense! Pense! Se existência vem pelo pensamento, encontraremos a razão conectando os pensamentos à fonte.
 Dúvida e pensamento estão ligados. Quando questionamos, buscamos por respostas. Se buscamos por respostas, encontramos opções. Opções nos dão poder de escolha. Propósito vem com as escolhas. 
É isso.
Denison 

COIN // MOEDA

🇺🇸 Words follow ways not always the same. The meaning can be the same, but can take different forms of construction. Same thing happen with the fruit of the seeds. The same fruit can have different names depending on the location. Same flavor and shape, different experience for those who taste it.
 Todays word is COIN. The meaning of the word is to stamp a drawing in metal by embossing a mark to identify or honor an authority. The result of this process created the monetary object used for trading. The meaning comes from the Old French coigne, which comes from latin cuneus, and means “wedge”. The first evidence of coins dates from the 7th Century BC, from Lydia, today’s West of Turkey. 
 At the beginning they were made as religious souvenirs, offered by the priests to the devoters. They were related to the Temple of Artemis of Ephesus. The believers began to give value to those objects and some traded with others for goods, until it became the basic currency for merchant. The practice turned into the object of use and the value were in the material the coin was made and its weight. To prevent against forgers later they created little marks and bumps on the edges so the can scratch or cut a little piece off to check if the coins was legit or false. Today’s coins are value more by what they represent.
 The value of what they’re made of and what they represent. And the value that is printed in us. That’s why we talk about other people, like trading coins in the market. We can make them more or less valuable.
That’s it. 
Denison 

🇧🇷 Palavras seguem caminhos que nem sempre são os mesmos. O significado pode ser igual, mas a forma diferente. O mesmo acontece com o fruto das sementes. O mesmo fruto pode ter nomes diferentes dependendo da localidade. Mesmo sabor e forma, mas diferente experiência para quem prova.
 A palavra de hoje é MOEDA. A origem vem de cerca de 390 a.C., quantos gauleses tentaram invadir o Capitólio em Roma. Os gansos sagrados da deusa Juno, assustados, “avisaram” os soldados do templo e eles puderam expulsar os invasores. A atitude dos gansos foi chamada de “Juno Moneta”, que quer dizer “o espírito de Juno avisou”. Moeda vem do latim moneta e significa “avisar, aconselhar”.
 Juno era esposa de Júpiter e a deusa protetora de Roma. Por libertar a cidade dos seus invasores foram criadas pequenas imagens em círculos de metal para homenagea-la. O templo de Juno se tornou o local onde as moedas eram cunhadas, sendo conhecido como “A Casa da Moeda”. Com o tempo aquelas moedas passaram a ter o seu valor no mercado e foram adotadas no império, com a imagem do imperador de um lado e o seu selo de outro. Para evitar falsificações as bordas foram elevadas para poderem ser raspadas e identificar do que eram feitas. Hoje, moedas valem mais pelo que representam.
 O valor do que são feitas e o valor que representam. E tem o valor que é impresso em nós. Por isso falamos das outras pessoas, como troca de moeda no mercado. Podemos faze-las valer mais ou menos.
É isso. 
Denison 

STAPLER // GRAMPEADOR

🇺🇸 Words are related to memories in two ways: by bringing back to our mind their meaning and events connected with, and because we have to remember them. That’s how we start to learn words when we’re babies. As we grow, the words grow, enriching our culture, like a huge field, ripping good fruits.
 As the words connect to our knowledge, they become attached to our mind, like they’ve been stapled to it and this takes us to today’s word: STAPLER. It’s a machine that shoots pieces of bended wires, known as staples, attaching together sheets of papers to each other or to a wood board, even used in surgical procedures, instead of stitches. It was invented by George McGill in 1866.
 The staple means the principal item in a market, usually the basic item in old trades. Staple were the place pointed to the royalty where the merchants were allowed to trade their goods. The use of staples started with the Persians, for the construction of Pasargadae. They had the need to hold the rocks used in the construction together, so they used bended metal nails and stuck them in the rocks. Staplers were created to keep good and important things together. In this case, there’s no bigger or smaller, more or less important, everyone is connect to hold what really matters to everybody. It’s like to fulfill a mission.
 Don’t we still have a mission while we’re living in this planet? The stapler is like a great commander sending staples (each one of us), to bring all the good and important things in this world together.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Palavras estão relacionadas com a memória de duas maneiras: pelas lembranças que nos trazem e por termos que decora-las. É assim que começamos a aprender palavras quando somos bebês. À medida que crescemos, as palavras crescem, enriquecendo nossa cultura, como um campo cheio de frutos.
 À medida que são conectadas ao nosso conhecimento, se tornam presas à mente, como se estivessem grampeadas o que nos leva à palavra de hoje: GRAMPEADOR. Aparelho que dispara arames metálicos dobrados nas pontas, para prender juntas folhas de papel, ou prende-las à uma placa de madeira, e até usado em procedimentos cirúrgicos, no lugar de pontos. Inventado em 1866 por George McGill.
 A palavra grampo vem do gótico krampa e do italiano grampa, do latim grampus. O significado é "garra". Grampos cravam suas pontas perfurando os objetos e envergando por detrás para que não haja possibilidade de se soltarem. O uso começou na Pérsia durante a construção de Pasárgada. Foi a maneira de fazerem com que as pedras ficassem presas umas às outras. Grampeadores foram criados para juntar coisas boas e importantes. Nesse caso, não tem maior nem menor, mais ou menos importante. Todos estão conectados para manter o que realmente importa. É como cumprir uma missão.
 Ainda não temos uma missão a cumprir neste planeta? O grampeador é como um comandante enviando grampos (cada um de nós), para fazer com que coisas boas e importantes deste mundo sejam unidas. 
É isso.
Denison 

ADAPT // ADAPTAR

🇺🇸 A plantation of words has no time to sow neither to harvest. Words are there to be spoken, written and demonstrated. A new season may come, but words have the power to make the season. They can transform the place, touch the hearts, build accomplishments and perpetuate memories.
 Today’s word is ADAPT. It’s one of the words I like the most. I keep thinking what this world would be if we didn’t have the ability of adapting? The word means “to make suitable”. It’s something that can take the form of another thing, or can be fitted to another different thing and even to connect two or more things that can be connected by themselves if there’s no adapter.
 I not only like the word itself, I like adapters! I have a bag filled with many of them. Outlet adapters, electrical adapters, computer adapters, audio, video and cable adapters and connectors, camera, network, I have adapters for adapters, because the industry keeps changing the platforms. I use to work with video presentations and I like to be prepared for any surprising situation. In fact, I had to learn to be suitable in life, because as I grew up, my father’s job required him to move frequently, so adapting to new places, new friends, new situations were normal to me and this is one of the things I’m grateful for.
 Adapting is the strongest ability humans have, but there’s one thing we can’t adapt: we can’t adapt to what we weren’t made for. That’s why we can’t do everything by ourselves. We need each other to adapt. 
 hat's it.
Denison 

🇧🇷 Numa plantação de palavras não existe tempo para plantar ou colher. Palavras existem para serem faladas, escritas e demonstradas. Uma nova estação pode chegar, mas as palavras têm o poder de fazer a estação. Podem transformar o ambiente, tocar corações, construir realizações e perpetuar memórias.
 A palavra de hoje é ADAPTAR. Uma das palavras que mais gosto. Penso no que seria deste mundo se não tivéssemos a habilidade de adaptação? A palavra significa “tornar ajustável”. É algo que pode tomar a forma de outra coisa, ou se encaixar a algo diferente, ou conectar duas ou mais coisas que não poderiam ser conectadas se não fosse pelo adaptador.
 E não é que eu só goste da palavra, gosto de adaptadores! Tenho uma bolsa cheia deles. Adaptadores de tomadas, elétricos, de computadores, áudio, vídeo, cabos e conectores, de câmeras, de redes, tenho até adaptadores para adaptadores, porque a indústria vive mudando as plataformas. Costumo trabalhar com apresentações visuais e não gosto de ser pego de surpresa. Na verdade, aprendi a me adaptar com a vida, porque cresci tendo que mudar frequentemente em função do trabalho do meu pai, então adaptar a novos lugares, amigos e situações se tornou normal e sou muito grato por isso.
 Adaptação é a nossa habilidade mais forte, mas tem algo que não nos adaptamos: aquilo para o qual não fomos feitos. Por isso não podemos fazer tudo sozinhos. Precisamos uns dos outros para adaptar. 
É isso.
Denison 

INCORPORATE // INCORPORAR

🇺🇸 Words can grow and multiply as seeds and buds. The way they do that is transforming into new terms and adjusting to the times. Because we have to talk about the past and about the present. They can even allow us to dream about the future, because words have the power the travel through time.
 They can create forms and describe forms, because most of the time, we prefer to see what we say. So let’s talk about forms. Today’s word is INCORPORATE. It’s a word with an interesting interpretation. Yes, because words have meaning and interpretation. Depending the application we can have different results and sometimes, unusual definitions, which is our case today.
 Corporate comes from the latin corporāte, derived from corpus, that means "body". That part is easy. But the prefix is not simple. The latin prefix in could mean "in", like "inside", but also "un", from "in opposition to", as in "undo". In the latin the meaning will depend on the time of the word. We can talk about "being in the body", but also say "not related to the body". This is real transformation! So the point here is not the body, but the interest in the body and the time when the interest occurs. And this is important to understand what happens when people just change opinion and seem like everything is still the same.
 We use to hear that people don’t like change. Maybe change is not the real problem. Maybe the problem is when things are not the same anymore. Because our body changes, but we still feel we’re the same. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Palavras podem crescer e multiplicar como sementes e brotos. Fazem isso se transformando em novos termos e se ajustando aos tempos. Porque temos que falar sobre o passado e sobre o presente. Elas podem até nos permitir sonhar com o futuro, porque palavras têm o poder de viajar pelo tempo.
 Elas podem criar e descrever formas, porque na maior parte do tempo preferimos ver o que dizemos. Então vamos falar de formas. A palavra de hoje é INCORPORAR. É uma palavra com interpretação interessante. Sim, palavras têm significado e interpretação. Dependendo da aplicação podemos ter diferentes resultados e às vezes, definições incomuns, como no caso de hoje.
 Corpóreo vem do latin corporāte, que está relacionado com corpus e significa “corpo". Esta parte é fácil. Mas o prefixo não é. No latin, o prefixo in pode significar “dentro", mas também pode significar "estar em oposição a", como em "desfazer". No latin o significado depende do tempo da palavra. Podemos dizer "estar no corpo", mas poderia ser "não pertencer ao corpo". Isso é transformação! Então o ponto aqui não é o corpo e sim o interesse no corpo e o tempo quando o interesse acontece. Isso é importante pra entender o que acontece quando pessoas mudam de opinião e tudo fica como se estivesse na mesma.
 Dizem que pessoas não gostam de mudar. Talvez mudança não seja o problema. Talvez seja quando as coisas não são mais as mesmas. Porque nosso corpo muda e sentimos que ainda somos os mesmos. 
É isso.
Denison 

PUNCTUAL // PONTUAL

🇺🇸 A plantation of words have two ways: words as seeds and words as a harvest. As seeds, words can be used to influence, motivate, touch emotions and the reason. As a harvest, words can bring us experiences, knowledge and wisdom. They’re like a good money put in a good investment.
 Words can have a huge effect when they go right to the point. This takes us to today’s word: PUNCTUAL. It’s related to point, which can be related to an indication and a location. Punctual is the characteristic of being at the point. We use that referring on to be on time, not being late. The point is when the pointers of the clock point to the number (point) of the hour.
 Besides that, punctual can also refer to a purpose, because it’s related to a specific point. It’s when you have something to say, and it’s proper to that particular moment. It’s when you are called to help someone in a specific moment and for a specific reason, so your help was punctual. Once it’s done, there’s no need to do more. The characteristic of punctual is to be precise, which is a very good quality, the opposite of being prolix (which I’ll write about it in the future). It brings sense to “the less is more”.
 Believe me, going right to the point and being precise is not easy, specially because after that we need to leave the scene. Punctuality requires humbleness and maturity. You’re going to be appreciated for that. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Uma plantação de palavras tem dois sentidos: palavras como sementes e como colheita. Como sementes podem ser usadas para influenciar, motivar e tocar emoções e a razão. Como colheita, podem proporcionar experiências, conhecimento e sabedoria. É bom dinheiro posto num bom investimento.
 Palavras podem ter bom efeito quando vão direto ao ponto. O que nos leva à palavra de hoje: PONTUAL. Tema ver com ponto, o que está relacionado com indicação e localização. Pontual é a característica de estar no ponto. Nos referimos a isso como estar no horário, não atrasar. O ponto é onde o ponteiro do relógio aponta para o número (ponto) da hora.
 Além disso, pontual também se refere a propósito, porque está relacionado a um ponto específico. É quando você tem algo a dizer e é apropriado para um momento em particular. Quando você é chamado pra ajudar alguém num determinado momento, por uma determinada razão, sua ajuda foi pontual. Depois que faz, não tem mais necessidade de continuar. A característica de pontual é ser preciso, o que é uma qualidade, o oposto de ser prolixo (vou escrever sobre isso no futuro). Como em “menos é mais”.
 Acredite, ir direto ao ponto e ter precisão não é fácil, especialmente porque depois disso temos que sair de cena. Ser pontual requer humildade e maturidade. As pessoas vão apreciar muito você por isso. 
É isso.
Denison