MASSAGER BACKPACK // MOCHILA COM MASSAGEADOR

🇺🇸 We keep seeing new and wonderful things every day. Since humanity crossing the barriers of the Universe, until the discoveries in the nano world. Technology is allowing us to reach levels of knowledge ever expected, unless in the fiction movies. And we can still be surprised for what’s next to come.
 Besides that another amazing thing we see every day is the human creativity. It’s the ability to go beyond discoveries, the ability to make new things come up out of things that have always been around. Some of them seem silly, but that doesn’t stop us to admire human’s ability to bring new reality to live. Like the massager backpack. While you’re carrying weight on your back, you get a massage from your backpack.
 The inventor combined these two things, just putting some massager devices in the back side of the backpack. With a battery placed in the backpack interior, you can have a massage just with the touch of a bottom. The battery can be fed by the same charger that charges your cell phone. Of course the idea is to release the uncomfortable pain caused by carrying the backpack. Some will ask, “why did anybody invent that before?” Because we needed the proper technology and materials to do that. Somethings can’t just happen anytime. They need the right moment to became possible. Just like some attitudes in life.
 It’s not a waiting if we are looking for the right time. If you have to push, do it to get to the right conditions to make things happen, or to say what you want to, or to do what you think is the best to be done. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Cada dia vemos novas e impressionantes coisas. Desde a humanidade cruzando as barreiras do Universo, até as descobertas no mundo nano. Tecnologia está permitindo alcançar níveis de conhecimento jamais esperados, a não ser em filmes de ficção. E ainda tem mais coisas por vir.
 Além disso, outra impressionante coisa que vemos cada dia é a criatividade humana. É a habilidade de ir além das descobertas, de fazer com que novas coisas surjam das que já existem. Algumas podemos achar bobas, mas isso não impede de admirar a habilidade humana em trazer nova realidade à vida. É como a mochila com massageador. Enquanto carrega peso nas costas, ganha uma massagem.
 Quem inventou combinou essas duas coisas, apenas colocando uns aparelhos de massagem na parte de trás da mochila. Com uma bateria interna, você pode receber uma massagem apertando um botão. A bateria é carregada com o mesmo carregador do celular. Claro que a idéia é aliviar o desconforto da dor de carregar a mochila. Alguém pode perguntar: “por que não inventaram antes?” Porque não tínhamos nem a tecnologia, nem os materiais necessários pra isso. Algumas coisas não acontecem qualquer hora. Elas precisam do momento certo para se tornarem possíveis. Igual a algumas atitudes na vida.
 Não é uma espera se você busca o momento certo. Se tem que forçar, force para criar as condições ideais para as coisas acontecerem, para dizer o que quer, ou para fazer o que acha que deve ser feito.
É isso.
Denison 

CHEVROTAIN

🇺🇸 Have you ever heard about a chevrotain? Do you know what it is? I’ve heard for the first time today, the day I’m writing this text. Chevrotain is an animal, a mammal, from the Tragulidae family, which are the animals with hooves. The chevrotain’s appearance is like a mix of a deer with a mouse and they’re tiny.
 In fact chevrotains are the smallest hoofed animals in the world. Its natural habitat is in south and southeast Asia, most common in Vietnam. The silver-backed chevrotain was practically considered extinct, due to the last time a specimen was seen is 25 years ago. Now a small group os silver-backed chevrotains was photographed in Vietnam, which was a great reason of joy for the environmental groups.
 It’s hard to live in a world where the dominant specie is responsible for most of the destruction in the planet. Human beings are killing, devastating, eliminating forms of life with the minimum consideration possible. All the efforts that have been done for environmental organizations are totally worth, although for some many species it’s just not enough. But when something, like the reappearance of the silver-backed chevrotain, happens make all the efforts worthy. Isn’t how you feel when you meet with a loved friend again, after many years without seeing that friend? It’s a great pleasure to find something that was lost.
 Losses are always bringing sorrow to our life. Some losses kill hope. But as a chevrotain can reappear, hope can also be raised again in our heart. When we keep hope, we make ourselves open to surprises.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Você já ouviu sobre chevrotains? Sabe o que é? A primeira vez que ouvir sobre eles foi hoje, o dia que estou escrevendo este texto. Chevrotain é um animal, mamífero, da família Tragulidae, que são animais com casco. A aparência do chevrotain é de uma mistura de veado com rato e são bem pequenos.
 Na verdade são os menores animais com casco no mundo. Seu habitat natural é o sul e sudeste da Ásia, mais em comum no Vietnã. O chevrotain-de-costas-prateadas era praticamente considerados extintos, pelo fato do último espécime ter sido visto ha 25 anos. Agora um pequeno grupo de chevrotain-de-costas-prateadas foi fotografado no Vietnã, o que se tornou motivo de muito alegria para ambientalistas.
 É difícil viver num mundo onde a espécie predominante é responsável pela maior parte da destruição do planeta. Seres humanos estão matando, devastando e eliminante formas de vida com o mínimo de consideração possível. Todos esforços feitos por organizações ambientalistas são válidos, embora para algumas espécies não suficiente. Mas quando algo, como o reaparecimento do chevrotain-de-costas-prateadas, acontece, torna todos esforços válidos. Não é como você se sente quando reencontra uma pessoa querida depois de muitos anos sem vê-la? É uma grande alegria reencontrar algo que se perdeu.
 Perdas entristecem nossa vida. Algumas matam a esperança. Assim como chevrotain reapareceu, a esperança pode ressurgir no coração. Quando mantemos a esperança, nos abrimos para surpresas. 
É isso.
Denison 

PAYING COLLEGE WITH DONUTS // PAGANDO A FACULDADE COM DONUTS

🇺🇸 A college student from Minnesota used to drive 270 from where he lives to Clive, IA, to pick donuts and resell them in his neighborhood, Donuts are from a very traditional brand and he noticed that in the State of Minnesota there’s no any store from that brand. Then he decided to make some profit of that.
 A local press heard of his venture and published an article about his entrepreneurship. According to the article he was using the profits to help him to pay off his student debts. The article caught the donut company’s attention and days after the student receive a phone call from the company demanding him to stop to sell the donuts in Minnesota because his sales were creating a liability for the company.
 The Donut Guy, as he became known, was about to to make his 20th trip to Iowa when he got the warning. Interesting is that he said he was expecting some kind of warning like that, but not too early. The company’s action cause some reactions from people that defending the student and soon a campaign against the company started in the social medias. Now the company changed its discuss tune. The published a statement recently saying that now they appreciate the student’s entrepreneur spirt and they are looking into the matter. It seems they want to find a good solution for both sides in this situation. 
 Have you done something good and suddenly you’ve found out there are people bothered about that? Are you aware that we can’t please everybody? Good actions are like donuts, not everybody like them.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Um estudante universitário do Estado de Minnesota viajava 430Km para uma cidade no Iowa para pegar donuts e revende-los na vizinhança. Os donuts são de uma marca tradicional que não possui lojas no Estado de Minnesota. Assim ele viu uma oportunidade de ganhar um dinheiro extra vendendo os donuts.
 Um jornal local ouviu sua história e publicou um artigo sobre seu empreendedorismo. De acordo com o artigo ele estava usando o lucro para pagar seus débitos acadêmicos. O artigo chamou a atenção do fabricante dos donuts e dias depois ele recebeu um telefonema da companhia exigindo que ele parasse de vender os donuts em Minnesota por as vendas estariam criando implicações para a companhia.
 Conhecido como “Donut Guy”, ele estava para fazer sua vigésima viagem para o Iowa quando recebeu o telefonema. Interessante é que ele disse que esperava receber o aviso, só que não tão cedo. A atitude da companhia gerou reação das pessoas que defenderam o estudante e logo uma campanha contra a companhia começou nas mídias sociais. Agora a companhia mudou o tom do discurso. Publicou uma declaração recentemente, dizendo que aprecia o espírito empreendedor do estudante e que eles estão considerando a situação. Parece que querem achar uma boa solução para ambos os lados agora.
 Tem alguma coisa boa que você fez e de repente notou que teve gente que ficou aborrecida com isso? Está ciente de que não dá pra agradar a todos? Boas ações são como donuts, nem todo mundo gosta. 
É isso.
Denison 

NEIGHBOR AND SISTER // VIZINHA E IRMÃ

🇺🇸 There’s nothing unusual in having a sister or another member of the family as a neighbor. I’ve seen several cases like that. Usually members of the same family like to live close to each other to keep sharing good moments, allowing cousins growing up together, or just to share the family property.
 What is unusual is when two sisters live next door to each other, but they don’t know it. Are you asking how? That happened in Wisconsin. Hillary found out about her biological parents and searching the genealogical tree also discovered she has siblings. In 2017 a new neighbor moved to the house next door and coincidently she has the same name as one of her biological sisters, Dawn Johnson. Coincidence?
 After taking some time observing the new neighbor she decided to take action and talk to Dawn. She welcomed her to the neighborhood, ask about her name, about her parents, until Dawn admitted Hillary was her sister. Dawn was surprised about that, because she looked fo 20 houses before decided to move to that specific one. Now they are reunited the are spending most time together possible. It’s like to start a new life. I use to say that we live in a small world that keeps turning around. There are connections and also we are crossing on to each others path. Sometimes it may be as good as to meet a lost sibling.
 Is our life so busy that we just can’t notice people around us? How would be possible to change the situation and start to bring new friends, interesting people to our life? How curious are you about that? 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Não tem nada de incomum em ter uma irmã ou outro membro da família como vizinho. Já vi vários casos assim. É comum membros da mesma família gostam de viver próximos para poderem partilhar os bons momentos, permitir que os primos cresçam juntos ou apenas para partilhar a propriedade da família.
 O que é incomum é quando duas irmãs vivem ao lado uma da outra, mas não sabem. Está se perguntando como é possível? Foi no Estado de Wisconsin, EUA. Hillary descobriu seus pais biológicos e procurou mais informações na árvore genealógica até descobrir que tinha irmãos. Em 2017 uma nova vizinha mudou para a cada ao lado e tinha o mesmo nome de uma das irmãs biológicas. Coincidência?
 Depois de algum tempo observando a nova vizinha, ela decidiu fazer alguma coisa e conversar com Dawn. Deu as boas vindas ao bairro, perguntou o nome, sobre os pais, até que Dawn admitiu que Hillary era sua irmã. Dawn ficou surpresa, porque ela havia olhado 20 casas antes de decidir por aquela. Agora que foram reunidas elas passam grande parte do tempo fazendo coisa junto. É como um recomeço na vida. Costumo dizer que vivemos num mundo pequeno e que dá voltas. Existem conexão e também cruzamos o caminho uns dos outros. Às vezes pode ser tão bom quanto encontrar um irmão perdido.
 Em nossa vida tão agitada não dá pra notar as pessoas ao nosso redor? Como poderíamos mudar a situação e trazer novos amigos, pessoas interessantes para nossa vida? Isso não te dá curiosidade? 
É isso.
Denison 

NEW STORY // NOVA HISTÓRIA

🇺🇸 We’re seeing the time passing. We can tell where we’re coming from. We know the past, we’ve seen the transitions from the past. We’ve registered the history, study about it in the school. So we’ve grown assuming that the history is what happened and we've placed our milestones based on what it was told.
 Until someone comes and start to tell a new story about the old story and things start to get confusing. Since I was a kid I’ve heard about the “OK” expression. It did always mean “something good”, “it's fine”. About the gesture it was different. In Brazil, where I come from, the American gesture is not related with the expression “OK”, because it’s a bad meaning. For the “OK” we use the “thumb up” instead.
 But I knew about that. I knew that in the US the gesture has a positive meaning. The difference was a cultural issue. But now a new story began to be told. Recently the gesture for “OK”, the thumb connecting the indicator with the other three fingers up, has being related to the “power of the white supremacy”. In the social networks the “OK” emoji now it’s sentenced to be removed and some medias, like Instagram, are threatening to block and remove any picture showing the gesture and the emoji. To be frank, I don’t like this new story and don’t agree with that. But we have to respect the people’s sensitivity on our days.
 It’s complicated when we allow any new story to come and change life. If we know the real story about anything, we should stand for what is truth, unless the truth is something bad that we should end too.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Vemos o tempo passar. Podemos dizer de onde estamos vindo. Conhecemos o passado, temos vista as transições do passado. Registramos a história, estudamos ela na escola. Assim crescemos entendo que aquela história é o que aconteceu e colocamos os marcos na história baseado naquilo que foi dito.
 Até que alguém chega e começa a contar uma nova história sobre a velha história e fica confuso. Desde que era criança aprendi a expressão “OK”. Sempre significou “algo bom”, “está tudo bem”. Sobre o gesto é diferente. Aprendi que nos EUA tem esse significado, mas o mesmo gesto, no Brasil, já tem outro significado, nada “OK”. Sempre usávamos o polegar pra cima pra nos referimos a algo positivo e “OK”.
 Mas eu entendia isso. Sabia que a diferença era uma questão cultural e que nos EUA o significado do gesto era positivo. Agora uma nova história começa a ser contada. Recentemente o gesto “OK”, polegar conectando o indicador e os 3 outros dedos pra cima, está sendo relacionado com a “supremacia da raça branca”. Nas redes sociais o emoji está sendo condenado a ser removido e algumas mídias, como Instagram, já estão ameaçando remover e bloquear fotos com o gesto. Para ser franco, não gosto e não concordo com essa nova história. Mas temos que respeitar a sensibilidade das pessoas hoje em dia.
 É complicado quando permitimos novas histórias interferirem em nossa vida. Se você sabe sobre a real história algo, defenda a verdade, a menos que a verdade seja ruim e precise ser encerrada também. 
É isso.
Denison 

ONLINE GRADES // NOTAS ONLINE

🇺🇸 Are we dominated by technology already? Maybe not like in Matrixx movie, but more like we are allowing technology to get our attention more than we should. We create this need and keep justifying with defensive arguments. This battle will still go on until we find a healthful way to use it in our daily routine.
 There’re two things I consider intriguing on this subject: There’re so many articles and videos warning us about the excessive use of technology and how can we access them? Through technology. Does it make sense? The other is about how much adults blame children for being addicted on using smartphones, but adults are as much addicted as children. The difference is children don’t care of justifying their addiction.
 Recently I’ve read an article about schools adopting to share students’ grades online so parents can have immediate access to them and that can help the parents to work on their children’s academic progress. Now they noticed the parents are becoming obsessive about checking the grades all the time. I would hate is they have this online system when I was in middle school. My mom would drive me crazy more than she did. So it seems that even good reasons can bring new problems. For me is evident the problem is not on the devices, but in how we’re managing our own life. How can we get the best of all worlds?
 We can’t. We have limits. There’re things we can only get if we give up another one. It’s a self-discipline issue and we're losing it. There’s a cure for that. But who likes to take medicine? That is another problem.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Já estamos dominados pela tecnologia? Talvez não como no filme Matrixx, mas mais como deixando a tecnologia dominar nossa atenção mais do que devia. Criamos essa necessidade e ficamos justificando com argumentos defensivos. Essa guerra vai terminar quando encontrarmos um jeito saudável de usá-la.
 Têm duas coisas que me intrigam nisso: Existem tantos artigos e vídeos alertando sobre o uso excessivo da tecnologia e como podemos acessa-los? Através da tecnologia. Isso faz sentido? A outra coisa é o quanto os adultos acusam as crianças de serem viciadas em usar smartphones, mas adultos usam tanto quanto as crianças. A diferença é que as crianças não se importam em justificar sua dependência.
 Recentemente li um artigo sobre escolas adotando o sistema de acesso online às notas dos estudantes, assim os pais podem ver imediatamente a nota e acompanhar o desenvolvimento dos filhos. Agora notaram que os pais estão ficando obsecrados em ficar checando as notas o tempo todo. Eu odiaria se tivesse esse sistema quando eu estivesse no ensino fundamental. Minha mãe ia me enlouquecer mais do que fazia. Parece que bons motivos podem criar novos problemas. É evidente que o problema não está nos aparelhos, mas em como lidamos com eles. Da pra ter o melhor de todas as coisas?
 Não da. Temos limites. Certas coisas só teremos se abrirmos mão de outra. Questão de auto-disciplina e estamos perdendo isso. Existe cura, mas quem gosta de tomar remédio? Aí já é outro problema. 
É isso.
Denison 

NO TICKET AND NO ID // SEM PASSAGEM E SEM DOCUMENTO

🇺🇸 We leave in a more and more scared world. Each movement made can raise suspiciousness and reactions. Check-point securities, X-Ray screening machines, metal detectors, security procedures for one hand offer safety, on the other hand expose how threatened it seems that we are anywhere.
 A passenger was removed from an airplane in Atlanta airport, causing a fight delayed. In fact, she was removed from the airport too. She was sitting in a seat that other passenger claimed the seat. The flight attendants came to solve the situation and asked the lady for her boarding pass. She said she had thrown out the boarding pass and had forgotten her ID at home. After that the security come and removed her.
 When this news was reported there was no further information about how that happened. Nobody could explain how she could pass through the security check point and through the boarding without any documentation. Now authorities are expecting for the FBI getting involved in the case. For sure this will raise the bar for the concerns about security, specially in the airports. Unless it’s something planned for testing the level of the security, which proves that something is not working totally good, I think we can expect for more rigor when security issues were necessary. What else could we expect?
 Things like that happen in the personal level of life too. Things we let scape from our attention and turn into not good surprises. It can happen once, but we have to raise some flag if it’s happening always.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Vivemos num mundo cada vez mais assustador. Cada movimento feito pode levantar suspeita e reações. Check-in de segurança, máquinas de Raio-X, detectores de metal, procedimentos de segurança nos oferecem segurança por um lado, mas por outro expõem as ameaças que nos cercam em todo lugar.
 Uma passageira foi removida do avião no aeroporto de Atlanta, atrasando o vôo. Na verdade, ela foi removida do aeroporto também. Ela estava sentada numa poltrona que outro passageiro disse ser sua. Os comissários de bordo pediram à mulher que mostrasse cartão de embarque, mas ela disse que tinha jogado fora e que tinha deixado a identidade em casa. A equipe de segurança chegou e levou ela dali.
 Quando essa notícia foi veiculada não haviam mais informações sobre como isso aconteceu. Ninguém pode explicar como ela passou pelo check-in de segurança e embarcou no avião sem nenhuma documentação. Agora autoridades esperam a ação do FBI no caso. Com certeza isso vai elevar o nível das preocupações com segurança, especialmente nos aeroportos. A menos que tenha sido algo planejado para testar a segurança, o que prova que algo não está funcionando 100%, acho que podemos esperar por mais rigor quando envolver segurança. O que mais poderá acontecer?
 Situações assim podem acontecer na vida pessoal. Deixamos passar coisas da nossa atenção e se tornam em problemas. Pode acontecer uma vez, mas temos que criar um alerta se acontecem sempre. 
É isso.
Denison