RESUME // CURRÍCULO

🇺🇸 One of the most important thing for who wants to get into a job is to prepare the Resume, also known as Curriculum Vitae. It’s the first thing any employer will ask when offering a job. Basically all the professional information has to be put in it, with the academic certification and personal skills too.
 We like to give the best impression through the Resume. Some put a personal photo, use fancy design and add a lot of other informations. Everything we think would impress a potential employer we want to put in there. Usually, our Resume is the best version of ourselves. There’s no other place we look so beautiful, competent, well skilled and gifted like our Resume. We only say good things about ourselves.
 But if anyone asks us to say good things about ourselves and we respond: “I don’t like to do that. It’s not right to say what I’m good at”. We have some incoherences in life and this is one of them. We feel embarrassed saying good things about ourselves, while in our Resume one sheet seems not to be enough. Unless we’re lying, there’s no problem at all to put all the good things about ourselves in our Resume. Of course a Resume matters for all that is professionally important. Maybe if we should care more about the person in our Resume and bring that person to live with the rest of people in this world.
 Like an employer, people like to have the best around them. Are we offering the same level of friendship, relationship, influence as we use to offer to a potential employer? Who are you out of your Resume?
That's it.
Denison 

🇧🇷 Uma das mais importantes coisas para quem busca um emprego é preparar um Currículo. É a primeira coisa que qualquer empregador vai pedir quando oferece uma emprego. Basicamente, toda informação profissional tem que ser posta lá, mais a certificação acadêmica e habilidades pessoais.
 Gostamos de causar a melhor impressão pelo Currículo. Alguns põe foto pessoal, usam papéis com design e poem várias outras informações. O que achamos que vai impressionar um empregador, pomos lá. Normalmente, o Currículo é a melhor versão de nós mesmos. Em nenhum outro lugar somos tão bonitos, competentes e capacitados do que no Currículo. Só falamos coisas boas de nós mesmos.
 Mas se alguém pedir para dizer algo bom sobre ós mesmo dizemos: “Eu não gosto de fazer isso. Não é legal falar do que sou bom”. Temos algumas incoerências na vida e essa é uma delas. Ficamos sem graça de falar coisas boas sobre nós mesmos, enquanto em nosso Currículo uma folha parece não ser suficiente. A menos que mintamos, não tem problema nenhum por boas coisas sobre nós no Currículo. Claro que o que importa num currículo são assuntos profissionais. Talvez devêssemos nos importar mais com a pessoa do nosso Currículo e traze-la para viver com o resto das pessoas neste mundo.
 Como um empregador, todos gostam de ter os melhores ao redor. Oferecemos o mesmo nível de amizade, relacionamento e influência que oferecemos no Currículo? Quem é você fora do seu Currículo? 
É isso.
Denison 

JUICE MAKER // CENTRÍFUGA

🇺🇸 I have a juice maker at home and I love it. I love what it does and how it does. Personally, I like to take the fruits or vegetables, cut home a put in the juice maker to see the juice filling the cup. I even like to wash it after use it and leave it in perfect use for the next time. I’ll tell you what it so interesting to me in that.
 I believe in transformation. For me is one of the most fascinating experiences in life, is when I see anything being transformed into something else. Specially when I see transformation in a person. We were created with the capability to grow, to develop, to improve and I see transformation as part of these processes. And that’s what I see when I am using the juice maker. I see transformation.
 But the interesting thing is that in this case the transformation is not about turning the fruit into something different. It’s the transformation of its condition. When a fruit becomes a liquid it’s because that liquid was in the fruit. The machine only work to bring out that part of the fruit. I don’t believe people can be transformed into something they are not. What happens is we can bring out of people characteristics they have and those characteristics can represent a transformation in them. If we’re able to make people show the best of what they are we create a power to make them love the best of what they can do.
 There’s no better felling when we love what we’re doing. The results are always amazing too. But people are not like fruit. After squeeze a fruit, we trow it off. We should never trow people off. Never!
That's it.
Denison 

🇧🇷 Tenho uma centrífuga em casa e amo ela. Amo o que ela faz e como ela faz. Pessoalmente, gosto de pegar frutas e vegetais, cortá-los e colocar na centrífuga pra ver o suco encher o copo. Até gosto de lavar a centrífuga pra deixar ela pronta pra usar de novo. Vou dizer porque acho tão interessante isso.
 Acredito na transformação. Pra mim, é uma das mais fascinantes experiências na vida. Quando vejo qualquer coisa sendo transformada em algo mais. Especialmente quando vejo transformação em uma pessoa. Fomos criados com a capacidade de crescer, desenvolver, melhorar e vejo transformação como parte desses processos. É o que eu vejo quando uso a centrífuga. Vejo transformação.
 Mas é interessante que nesse caso a transformação não é tornar a fruta em algo diferente do que ela é. É a transformação de uma condição. Quando a fruta se torna em líquido é porque o líquido estava dentro dela. A máquina só extraiu aquela parte da fruta. Não creio que pessoas se transformem em algo que não sejam. O que acontece é que podemos extrair das pessoas características que elas têm e essas características podem representar transformação para elas. Se formos capazes de ajudar as pessoas a mostrarem o seu melhor, criamos um poder que fará com que amem o que de melhor podem fazer.
 Não tem melhor sentimento do que fazer o que se ama. Resultados sempre vão ser incríveis. Mas frutas não são pessoas. Esprememos a fruta e jogamos o resto fora. Não fazemos isso com pessoas. Nunca! 
É isso.
Denison 

HONKING // BUZINAR

🇺🇸 Years ago I was reading an article about the city of Rio de Janeiro in the Reader’s Digest. I love Rio de Janeiro, I was raised there and keep wonderful memories from that time. But the article started with an interesting detail about the city, which is true, and is very similar with New York City.
 It said that the shortest fraction of time in Rio is the time between the traffic light turns green and the car behind you honk the horn. In situations like that it’s good to have a horn to honk because we don’t want to hear what kind of words the person want to say to us. But, the truth is that nobody likes to hear the honk of a horn. I think, honking is one of the things that makes traffic worse, it doesn’t matter where.
 I don’t know about other cities, but there’re some areas in New York where is prohibited to honk and the fine is not low. But since 2013, the city decided to remove the signs of “Stop Honking”, because the authorities understand it’s a waste of time, although the city still charge fines for that. They say that there’re so many noises in the city that’s almost impossible to identify the necessary honking. Have you ever felt that your efforts to say something were worthless? You tried to say something and it seems that nobody is listening. Sometimes making noise is the only option we have to get people’s attention.
 Maybe you have another option. What do you do when you need to people to pay attention on what you do have to say? Usually honking in traffic only gets more rage. Please, do not forget about this detail.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Faz anos, eu estava lendo um artigo sobre a cidade do Rio de Janeiro na revista Seleções. Amo o Rio de Janeiro, fui criado lá e guardo grandes lembranças daquele tempo. Mas o artigo começou com um detalhe interessante sobre a cidade, e que é verdade, e também muito parecido com New York.
 Dizia que a menor fração de tempo que existe é o tempo do sinal ficar verde e o carro de trás buzinar. Em situações assim até que é bom ter a buzina porque não vamos querer ouvir as palavras que a pessoa vai estar querendo dizer. Mas a verdade é que ninguém gosta de ouvir o barulho de buzina. Acho que buzina é uma das coisas que faz o trânsito ficar pior, não importa onde estivermos.
 Não sei sobre outras cidades, mas em New York têm algumas áreas onde é proibido buzinar e a multa não é nada barata. Desde 2013, a cidade removeu as placas de “proibido buzinar”, porque as autoridades entenderam que era perda de tempo, embora ainda cobrem as multas. Eles dizem que com tanto barulho na cidade é praticamente impossível identificar buzinas desnecessárias. Alguma vez você sentiu que seus esforços em dizer algo foram inúteis? Você tentou dizer algo e pareceu que ninguém estava dando bola. Às vezes fazer barulhos é a única opção que temos para chamar atenção dos outros.
 Talvez você tenha outra opção. O que você faz quando precisa que as pessoas prestem atenção no que diz? Normalmente buzinar no tráfego só desperta mais raiva. Por favor, não se esqueça desse detalhe. 
É isso.
Denison 

SIGNATURE // ASSINATURA

🇺🇸 Our signature is a personal mark. Today is so important as a royal seal in the past. Of course because the development of writing it became easier to do it by hand instead go creating a stamp and use melted wax to print it. Now we have more sophisticated forms of signatures, like digital and virtual.
 I had a concerning of creating my signature since I was a kid. I remember my father’s signature. It was very simple. It was only his first name in a fancy writing. It was a nice signature and I able to copy it. My mother use to sign her full name in a cursive writing. I was able to copy my mother’s signature as well. Of course I never forged their signature for anything, but if I did nobody would ever notice it.
 When I turned 18 I created my signature. Which that age I was able to have a bank account and could sign some official documents. I was in college and one day I was looking at the bulletin board. There was a letter with a personal signature. That signature was the model for me to create my own. The name initials were different, but I liked the design and used on mine. I like my signature, it has a perfect balance of lines, but who cares about that? Well, one day someone told me I have a beautiful signature. The more important about it is that my signature confirms most of the decisions I make. It represents myself.
 What’s the best way to represent ourselves so other people will accept the decisions we make? We are worth more than lines in a paper. We’re always leaving our mark and what does that mean to the others?
That's it
Denison 

🇧🇷 Nossa assinatura é uma marca pessoal. Hoje é tão importante quanto era um selo real no passado. Claro que devido ao desenvolvimento da escrita ficou mais fácil fazer, ao invés de ter que criar um carimbo e marcar em cera derretida. Hoje temos meios mais sofisticados, como assinaturas digitais.
 Sempre me preocupei com a assinatura que teria. Lembro da assinatura do meu pai. Era bem simples. Apenas seu primeiro nome escrito de um jeito requintado. Eu consegui copiar a assinatura. Minha mãe assina o nome completo com letra corrida. Também consegui copiar a dela. Claro que nunca falsifiquei a assinatura deles pra nada, mas se fizesse provavelmente ninguém iria notar a diferença.
 Quando fiz 18 anos criei minha assinatura. Já tinha idade para ter conta no banco e assinar alguns documentos. Estava na faculdade e um dia olhando no mural vi uma carta com uma assinatura pessoal. Aquela assinatura foi o modelo para criar a minha. As iniciais do nome eram diferentes, mas gostei do design e usei na minha. Gosto da minha assinatura, acho que tem um equilíbrio perfeito de linhas, mas que importância tem isso? Bem, um dia alguém disse que minha assinatura é bonita. O mais importante é que a assinatura confirma a maioria das decisões que eu faço. Ela me representa.
 Qual a melhor maneira de sermos representados para que as pessoas aceitem nossas decisões? Valemos mais que linhas num papel. Sempre estamos deixando nossa marca e o que ela representa?
É isso.
Denison 

BULLETIN BOARD // MURAL DE ANÚNCIOS

🇺🇸 They are in schools, work places, stations, churches, buildings, even right above my desk. We can see them full or empty. Some are locked. Basic or completely decorated. They speak for us. We believe they have the power to call for people’s attention. We believe they can make the difference in life.
 Am I overstating? I don’t think so. If we do not believe bulletin boards have that power we would get rid of them long time ago. But they’re still there. People are still pinning important messages in them, as if everyone is paying attention to everything in there. Any kind of announcement, with pictures, in colored paper, cut in strips, brings hope that lots of people will respond just because they saw it in there.
 The fact is that every new day bulletin boards are becoming less attractive. They have become part of the wall. We walk in front of them without even notice they are there. We’re paying attention to little screens in our hands. But I’m not blaming smartphones here. I’m just saying that bulletin boards are becoming obsoletes. The interesting thing is even people paying less attention to them, they’re still there. Why? What could be done to change this? In fact this isn’t my point. The point is that there’re some important things in our life, but we’re simply not noticing them anymore. Should we put some sense on that? 
 Maybe it’s not that terrible if we’re talking about bulletin boards, but what if it’s a person? If we’re just walking by not noticing who needs out attention? Did you notice the yellow ribbon on the board photo?
That's it.
Denison 

🇧🇷 Estão nas escolas, ambientes de trabalho, estações, igrejas, prédios e até acima da minha mesa. Vemos eles cheios ou vazios. Alguns têm tranca. Básicos e completamente decorados. Eles falam por nós. Acreditamos que têm o poder de atrair a atenção. Acreditamos que podem fazer diferença na vida.
 Estou exagerando? Acho que não. Se não acreditássemos que têm esse poder já teríamos nos livrado deles faz tempo. Mas eles ainda estão lá. Pessoas ainda fincam importantes mensagens neles, como se todos fossem prestar atenção em tudo que está lá. Todo tipo de anúncio, com fotos, em papéis coloridos, em tirinhas, traz a esperança de que muitas pessoas vão responder só porque viram o anúncio lá.
 O fato é que a cada dia mural de anúncios se tornam menos atrativos. Se tornaram parte da parede já. Passamos em frente deles sem sequer notarmos que estão ali. Estamos prestando atenção a pequenas telas em nossas mãos. Não estou culpando smartphones. Só estou dizendo que murais de anúncios estão ficando obsoletos. Interessante é que mesmo prestando menos atenção neles, eles continuam lá. Por que? O que poderia ser feito? Esse não é o meu ponto. Meu ponto é que existem coisas que são parte de nossa vida e simplesmente deixamos de percebe-las. Deveríamos pensar e agir sobre isso.
 Talvez não seja tão terrível em se tratando de mural de anúncios, mas e se for uma pessoa? E se paramos de perceber quem precisa da nossa atenção? Você notou uma fita amarela na foto do mural?
É isso.
Denison 

FITTING ROOM // PROVADOR DE ROUPA

🇺🇸 Fitting rooms are the last frontier for clothes shoppers. The battle between physical stores and online stores is getting harder and harder. A lot of people still hesitate to purchase clothes online because they like to try them. Online stores are trying services that shoppers can try clothes at home before buy them.
 The old said says: “all is fair in love and war”, so this is a sales war. Now some physical stores are fighting back. Big department store chains are investing a lot of money in the fitting rooms of the future. The idea is the shopper doesn’t need to take any clothes to the fitting room. They’ll have smart mirrors that show the person in any outfit she wants with just a touch of a finger tip. What about that?  
 Stores executives say that the fitting room is one of the places where most of the buying decisions are made. I think we all agree with that. A person goes to the fitting room with a lot of items. She tries everything, call the other person who is with her to give the opinion. Sometimes tries the same item again and at the end leaves most of the items behind, if not all of them. So the idea is to make the shopping experience more enjoyable and of course, more effective to the store. Sometimes we see ourselves in the place of decisions. That place could be a moment, a situation or an impacting experience. 
 How would you want to leave “life’s fitting room”? We use to bring a lot of things in there, but in life we can’t try everything. We need to improve our sense of making choices. You can try that for shopping clothes too.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Provadores são a última fronteira para compradores de roupas. A batalha entre lojas físicas e lojas virtuais está cada vez mais forte. Muitas pessoas hesitam em comprar roupas online porque querem provar as roupas. Lojas online estão oferecendo serviço de provar as roupas em casa antes de comprar.
 O velho ditado diz: “na guerra e no amor vale tudo”, e é uma guerra de vendas. Agora as lojas físicas estão reagindo. Grandes lojas de departamento estão investindo muito dinheiro em provadores do futuro. A idéia é que quem compra não precisa levar nada para o provador. Eles vão ter “espelhos inteligentes” que mostrarão a pessoa com as roupas que escolher, com apenas o toque da ponta do dedo. Que tal?
 Executivos dizem que provadores de roupa são lugares onde a maioria das decisões são feitas. E acho que concordamos com isso. A pessoa vai ao provador com vários ítens. Prova todos, chama a pessoa que está com ela para dar a opinião. Às vezes prova a mesma peça de novo e termina deixando a maioria dos ítens lá, quando não deixa todos. A idéia é fazer a experiência de comprar roupas mais agradável e, é claro, mais efetiva para as lojas. Às vezes nos vemos em lugares de decisão. Esses lugares podem ser um momento, uma situação, ou uma experiência impactante.
 Como gostaria de sair do “provador da vida”? Levamos muita coisa pra lá, mas na vida não dá pra provar tudo. Temos que desenvolver o senso de fazer escolhas. Você pode tentar isso ao comprar roupas também.
É isso.
Denison 

TIMER

🇺🇸 In July of 1994 Brazil won the World Cup. In the final my parents and my sister were in my parent’s house to watch the game. It was tense! Game went to penalties. Every kick was like a test to our heart. Brazil scored 4 out of 5 and Italy scored 3 out of 4. They still had one kick to tie up and keep the penalties going.
 My family was holding their breath when Baggio, best Italian player, started to run toward the ball, when the TV turned off. They got so confused, had no idea of what’s going on. They tough energy was down, but the lights in the house were on. They heard the neighbors yelling at the streets, celebrating. They were so frustrated about what happened and for missing the kick that made Brasil the champion.
 Soon the TV was working again. My dad was confused about that. It was a new TV and there was no explanation for stop working and suddenly went back to normal. Then my dad remembered, he was testing the TV before the game, because it was a new TV. He tried the timer and put the timer ON scheduling a supposed time the game would be over. He wasn’t counting with the game going to overtime or to penalty kicks and he forgot about the timer when the game went longer. Coincidently the timer was scheduled to the exact moment of the last penalty kick. .
 If we surrender the control to someone (or something) else that's what happens. We become hostages of their willing. A timer could be good, but having the control to decide to go on or to stop is even better! 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Em julho de 1994, na final da Copa, meus pais e minha irmã estavam na casa dos meus pais para assistir o jogo. Foi tenso! O jogo foi pros pênaltis. Cada cobrança era um teste para o coração. Brasil tinha batido 5 e marcado 4 e a Itália marcado 3 e faltava a quinta cobrança. Era o pênalti que decidiria.
 Minha família estava segurando a respiração quando Baggio correu para a bola e no mesmo momento a TV desligou. Eles ficaram confusos, sem a menor idéia do que aconteceu. Acharam que foi falta de energia, mas as luzes da casa estavam acesas. Ouviram os vizinhos gritando na rua comemorando. Mas ficaram super frustrados pelo que aconteceu e por terem perdido o lance que deu o título ao Brasil.
 Logo a TV estava funcionando de novo. Meu pai estava intrigado com isso. A TV era nova e não tinha explicação para parar de funcionar e voltar ao normal. Aí meu pai lembrou que ele estava testando a TV antes do jogo, porque era nova. Ele testou o Timer e ligou ele programando para desligar quando jogo acabasse. Ele só não contava que teria prorrogação e pênaltis e esqueceu do Timer quando o jogo demorou mais tempo que o programado. Coincidentemente o Timer desligou a TV exatamente no momento da cobrança do último pênalti.
 Se entregamos o controle para alguém (ou algo) isso é o que pode acontecer. Nos tornamos reféns da sua vontade. Um Timer pode ser bom, mas ter o controle para decidir parar ou continuar é bem melhor!
É isso.
Denison