RESUME // CURRÍCULO

🇺🇸 One of the most important thing for who wants to get into a job is to prepare the Resume, also known as Curriculum Vitae. It’s the first thing any employer will ask when offering a job. Basically all the professional information has to be put in it, with the academic certification and personal skills too.
 We like to give the best impression through the Resume. Some put a personal photo, use fancy design and add a lot of other informations. Everything we think would impress a potential employer we want to put in there. Usually, our Resume is the best version of ourselves. There’s no other place we look so beautiful, competent, well skilled and gifted like our Resume. We only say good things about ourselves.
 But if anyone asks us to say good things about ourselves and we respond: “I don’t like to do that. It’s not right to say what I’m good at”. We have some incoherences in life and this is one of them. We feel embarrassed saying good things about ourselves, while in our Resume one sheet seems not to be enough. Unless we’re lying, there’s no problem at all to put all the good things about ourselves in our Resume. Of course a Resume matters for all that is professionally important. Maybe if we should care more about the person in our Resume and bring that person to live with the rest of people in this world.
 Like an employer, people like to have the best around them. Are we offering the same level of friendship, relationship, influence as we use to offer to a potential employer? Who are you out of your Resume?
That's it.
Denison 

🇧🇷 Uma das mais importantes coisas para quem busca um emprego é preparar um Currículo. É a primeira coisa que qualquer empregador vai pedir quando oferece uma emprego. Basicamente, toda informação profissional tem que ser posta lá, mais a certificação acadêmica e habilidades pessoais.
 Gostamos de causar a melhor impressão pelo Currículo. Alguns põe foto pessoal, usam papéis com design e poem várias outras informações. O que achamos que vai impressionar um empregador, pomos lá. Normalmente, o Currículo é a melhor versão de nós mesmos. Em nenhum outro lugar somos tão bonitos, competentes e capacitados do que no Currículo. Só falamos coisas boas de nós mesmos.
 Mas se alguém pedir para dizer algo bom sobre ós mesmo dizemos: “Eu não gosto de fazer isso. Não é legal falar do que sou bom”. Temos algumas incoerências na vida e essa é uma delas. Ficamos sem graça de falar coisas boas sobre nós mesmos, enquanto em nosso Currículo uma folha parece não ser suficiente. A menos que mintamos, não tem problema nenhum por boas coisas sobre nós no Currículo. Claro que o que importa num currículo são assuntos profissionais. Talvez devêssemos nos importar mais com a pessoa do nosso Currículo e traze-la para viver com o resto das pessoas neste mundo.
 Como um empregador, todos gostam de ter os melhores ao redor. Oferecemos o mesmo nível de amizade, relacionamento e influência que oferecemos no Currículo? Quem é você fora do seu Currículo? 
É isso.
Denison 

JUICE MAKER // CENTRÍFUGA

🇺🇸 I have a juice maker at home and I love it. I love what it does and how it does. Personally, I like to take the fruits or vegetables, cut home a put in the juice maker to see the juice filling the cup. I even like to wash it after use it and leave it in perfect use for the next time. I’ll tell you what it so interesting to me in that.
 I believe in transformation. For me is one of the most fascinating experiences in life, is when I see anything being transformed into something else. Specially when I see transformation in a person. We were created with the capability to grow, to develop, to improve and I see transformation as part of these processes. And that’s what I see when I am using the juice maker. I see transformation.
 But the interesting thing is that in this case the transformation is not about turning the fruit into something different. It’s the transformation of its condition. When a fruit becomes a liquid it’s because that liquid was in the fruit. The machine only work to bring out that part of the fruit. I don’t believe people can be transformed into something they are not. What happens is we can bring out of people characteristics they have and those characteristics can represent a transformation in them. If we’re able to make people show the best of what they are we create a power to make them love the best of what they can do.
 There’s no better felling when we love what we’re doing. The results are always amazing too. But people are not like fruit. After squeeze a fruit, we trow it off. We should never trow people off. Never!
That's it.
Denison 

🇧🇷 Tenho uma centrífuga em casa e amo ela. Amo o que ela faz e como ela faz. Pessoalmente, gosto de pegar frutas e vegetais, cortá-los e colocar na centrífuga pra ver o suco encher o copo. Até gosto de lavar a centrífuga pra deixar ela pronta pra usar de novo. Vou dizer porque acho tão interessante isso.
 Acredito na transformação. Pra mim, é uma das mais fascinantes experiências na vida. Quando vejo qualquer coisa sendo transformada em algo mais. Especialmente quando vejo transformação em uma pessoa. Fomos criados com a capacidade de crescer, desenvolver, melhorar e vejo transformação como parte desses processos. É o que eu vejo quando uso a centrífuga. Vejo transformação.
 Mas é interessante que nesse caso a transformação não é tornar a fruta em algo diferente do que ela é. É a transformação de uma condição. Quando a fruta se torna em líquido é porque o líquido estava dentro dela. A máquina só extraiu aquela parte da fruta. Não creio que pessoas se transformem em algo que não sejam. O que acontece é que podemos extrair das pessoas características que elas têm e essas características podem representar transformação para elas. Se formos capazes de ajudar as pessoas a mostrarem o seu melhor, criamos um poder que fará com que amem o que de melhor podem fazer.
 Não tem melhor sentimento do que fazer o que se ama. Resultados sempre vão ser incríveis. Mas frutas não são pessoas. Esprememos a fruta e jogamos o resto fora. Não fazemos isso com pessoas. Nunca! 
É isso.
Denison 

HONKING // BUZINAR

🇺🇸 Years ago I was reading an article about the city of Rio de Janeiro in the Reader’s Digest. I love Rio de Janeiro, I was raised there and keep wonderful memories from that time. But the article started with an interesting detail about the city, which is true, and is very similar with New York City.
 It said that the shortest fraction of time in Rio is the time between the traffic light turns green and the car behind you honk the horn. In situations like that it’s good to have a horn to honk because we don’t want to hear what kind of words the person want to say to us. But, the truth is that nobody likes to hear the honk of a horn. I think, honking is one of the things that makes traffic worse, it doesn’t matter where.
 I don’t know about other cities, but there’re some areas in New York where is prohibited to honk and the fine is not low. But since 2013, the city decided to remove the signs of “Stop Honking”, because the authorities understand it’s a waste of time, although the city still charge fines for that. They say that there’re so many noises in the city that’s almost impossible to identify the necessary honking. Have you ever felt that your efforts to say something were worthless? You tried to say something and it seems that nobody is listening. Sometimes making noise is the only option we have to get people’s attention.
 Maybe you have another option. What do you do when you need to people to pay attention on what you do have to say? Usually honking in traffic only gets more rage. Please, do not forget about this detail.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Faz anos, eu estava lendo um artigo sobre a cidade do Rio de Janeiro na revista Seleções. Amo o Rio de Janeiro, fui criado lá e guardo grandes lembranças daquele tempo. Mas o artigo começou com um detalhe interessante sobre a cidade, e que é verdade, e também muito parecido com New York.
 Dizia que a menor fração de tempo que existe é o tempo do sinal ficar verde e o carro de trás buzinar. Em situações assim até que é bom ter a buzina porque não vamos querer ouvir as palavras que a pessoa vai estar querendo dizer. Mas a verdade é que ninguém gosta de ouvir o barulho de buzina. Acho que buzina é uma das coisas que faz o trânsito ficar pior, não importa onde estivermos.
 Não sei sobre outras cidades, mas em New York têm algumas áreas onde é proibido buzinar e a multa não é nada barata. Desde 2013, a cidade removeu as placas de “proibido buzinar”, porque as autoridades entenderam que era perda de tempo, embora ainda cobrem as multas. Eles dizem que com tanto barulho na cidade é praticamente impossível identificar buzinas desnecessárias. Alguma vez você sentiu que seus esforços em dizer algo foram inúteis? Você tentou dizer algo e pareceu que ninguém estava dando bola. Às vezes fazer barulhos é a única opção que temos para chamar atenção dos outros.
 Talvez você tenha outra opção. O que você faz quando precisa que as pessoas prestem atenção no que diz? Normalmente buzinar no tráfego só desperta mais raiva. Por favor, não se esqueça desse detalhe. 
É isso.
Denison