PROMOTING SOMEONE // PROMOVER ALGUÉM

🇺🇸 Dealing with people and interrelationships are the major activity in leadership. Besides that, the leaderactive also work to make people grow. As more people get involved in the movement the challenge for organizing how things get done will eventually rise the need for sharing responsibilities in the group.
 Special responsibilities demand people to take charge of what’s going on and to become accountable for it. In an organizing environment that figures as a hierarchic position. It’s a range of authority (trends don’t like the term “levels” of authority). At this point the first challenge is to bring someone to that position. We have to think about the right person for the job. So, what’s the best way to promote someone?
 We consider qualification, merits and competence. Usually we find more than one person with the same level on those requirements. Bosses spend a lot of energy considering them. But there’s another one that can help to bring the solution. When you’re trying to buy something or planing a trip, do you read the reviews about the product or the hotel? Listening on what other people are saying gives you a better view of the picture. Same thing when you’re promoting someone. To consider other people’s perspective about the candidates and add it to the other requirements. Specially when some specific details are pointed. 
 That also works when giving recommendations, or introducing someone. What we say about people is a way of promoting them. That’s why compliments should be specific. Even one single point can say a lot.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Lidar com pessoas e com relações interpessoais é uma das principais atividades na liderança. Além disso, o liderativo ajuda as pessoas crescerem. À medida que pessoas se envolvem no movimento o desafio de organizar as atividades vai gerar a necessidade de partilhar responsabilidades no grupo.
 Responsabilidades especiais requerem pessoas no comando e elas têm que dar conta disso. Num ambiente organizado isso representa uma posição hierárquica. É uma esfera de autoridade (o termo “níveis" de autoridade não cai bem mais). Nesse ponto o primeiro desafio é colocar alguém no cargo. Temos que pensar na pessoa certa para o trabalho. Então, qual a melhor maneira de promover alguém?
 Consideramos a qualificação, os méritos e a competência. Normalmente se encontra mais de uma pessoa no mesmo nível. Chefes gastam muita energia considerando isso. Mas tem outro ponto que pode ajudar na solução. Quando você quer comprar algo ou planeja uma viagem, você lê as avaliações do produto ou do hotel? Ouvir o que as pessoas têm a dizer dá uma visão melhor do quadro. O mesmo quando se trata de promover alguém. Considerar a perspectiva de outras pessoas sobre os candidatos e acrescentá-la aos outros requerimentos. Especialmente quando apontam detalhes específicos.
 Também funciona ao fazermos recomendações e ao apresentarmos alguém. O que falamos das pessoas é uma maneira de promovê-las. Por isso elogios deveriam ser específicos. Um ponto pode dizer muito. 
É isso.
Denison 

COACHING

🇺🇸 Being in charge of our own life is not easy. We want to make plans to work, dreams to come true, to reach happiness. A lot of people struggle trying to find out what those things really mean in their life. We know that we want good things to happen, but maybe is not clear into our mind what it is and how to get there.
 That’s why people are looking for coaches. A coach is a professional that will work things out of you. Their main function is to help you to find all the answers you are looking for. Most of the answers are inside yourself. For the other answers the coach will help you to find out where you can find them. Probably you’ve heard a lot about it, so allow me to bring here what is not coaching, so you don’t get confused.
 Coaching is not therapy. Unless the coach has a certification as therapist, it’s not coach’s job to act as one. A therapist has the power to interfere in your inner issues, the coach hasn’t. Coaching is not mentoring. Mentoring involves evaluation and correction of decision and actions, coaching don’t. Coaching is not consulting. A consultant offers support and guidance on what the best decision to make, the coach don’t. Coaching is not self-help. This is for you to develop personal abilities. Coaching is not for that. It’s important to understand that, because the last thing you want in coaching is to get more confuse.
 Sometimes, you’re eating peanuts out of a bag and know that it’s possible that there's something else than peanuts inside the bag too. If you know the difference you can discard what you don’t want to eat.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Estar no controle da própria vida não é fácil. Queremos que os planos dêem certo, sonhos se realizem, alcançar a felicidade. Um monte de gente sofre tentando encontrar essas coisas na vida. Todos querem boas coisas na vida, mas talvez essas coisas não estejam claras em nossa mente, nem como chegar lá.
 Por isso pessoas procuram por coaches. Um coach é um profissional que vai trabalhar as coisas de dentro pra fora. Sua principal função é ajudar você encontrar as respostas que procura. A maioria delas está dentro de você. Para as outras, o coach vai ajudar você a saber onde encontrá-las. Provavelmente você ouviu muito sobre isso, então me permita esclarecer aqui o que não é coaching. Não se confunda.
 Coaching não é terapia. A menos que o coach tenha uma certificação de terapeuta, essa não é sua função. Um terapeuta tem a permissão de interferir nas suas questões interiores, o coach não. Coaching não é mentoring. Mentoring envolve avaliação e correção de decisões e ações, coaching não. Coaching não é consultoria. Um consultor oferece orientação para tomar a melhor decisão, o coach não. Coaching não é auto-ajuda. Isso é para quando você quer desenvolver habilidades pessoais. Coaching não é pra isso. É importante entender isso, porque a última coisa que você quer no coaching é se confundir mais.
 Às vezes você está comendo amendoins e sabe que pode ter alguma outra coisa além de amendoim dentro do saco também. Se você sabe a diferença, vai poder jogar fora o que você não quer comer. 
É isso.
Denison 

PEN // CANETA

🇺🇸 One of the things about seeds and crops is that they can share pollen to other fields. Sharing is one of the greatest experiences in life. It’s what really makes us rich. If you don’t believe that, remember that the richest man in the world is alo the greatest philanthropist in the world.
 Pollination creates a trace sharing essence of life to every direction. It’s a random process. Birds, insects, wind have effect on that, but not having an exactly order where they are going, but always leaving the traces behind. The result is a new harvest. Fields filled with new life, beautiful gardens, delicious fruits. That is an example of what words can do when we share them in a positively way.  
 Words leave a trace of wisdom. Same way as pollination has more than one agent, we can leave a trace of words in several way. Using a pen is one of them. I don’t know why, but I am a pen aficionado. I was never a collector, but I use to keep every pen I got. Before move to US I decided to get rid of the pens, but I’m still love them. The word PEN comes from latin penna, which means “feather”. It’s easy to make the connection, once people used to use feathers to write. Pen’s main characteristic is to leave a trace, of writing or stain. At the end the words will be matter the most, like the fruits, but not without the pen.
 Modern pen, ballpoint, was invented by Lázló Bíró, a Hungarian news editor, in 1938. These pens started to be sold in 1943. Pollen, fruits, ink, words and deeds. We’re all part of the process of leaving a trace.
That's it.
Denison 

 
🇧🇷 Uma das coisas sobre sementes e espigas é que elas podem partilhar pólen com outros campos. Partilhar é uma das grandes experiências na vida. É o que nos faz verdadeiramente ricos. Se não acredita, lembre que o homem mais rico do mundo é também o maior filantropo do mundo.
 Polinização cria um rastro partilhando essência de vida em todas as direções. É um processo randômico. Pássaros, insetos, vento têm influência nisso. Podem não ter uma direção exata de onde vão, mas sempre deixam o rastro. O resultado é uma nova colheita. Campos cheios de nova vida, lindos jardins, frutos deliciosos. Que exemplo do que as palavras podem fazer quando partilhamos elas positivamente.
 Palavras deixam rastro de sabedoria. Assim como polinização tem mais de um agente, o mesmo ocorre com o rastro de palavras. A caneta é um desses agentes. Não sei explicar, mas sou um aficionado por canetas. Nunca fui colecionador, mas guardava todas as canetas que conseguia. Quando mudei pros EUA joguei elas fora, mas ainda amo canetas. CANETA vem do latin canna, “talo de planta”. O primeiro uso de caneta foi assim, remetido aos egípicios. A principal característica da caneta é deixar rastro, de escrita ou de mancha. No final as palavras, como frutos, são o que importa mais, mas não sem a caneta.
 Canetas modernas, esferográficas, foram inventadas por Lázló Bíró, um editor húngaro, em 1938. Foram comercializadas em 1943. Pólen, frutos, tinta, palavras, e ações. Todos estamos nesse processo.
É isso.
Denison 

ENCOUNTER / ENCONTRO

🇺🇸 “No man is an island”. This is a quote from John Donne in the book Devotions Upon Emergent Occasions and Seuerall Steps in my Sicknes - Meditation XVII, 1624. It’s been a long time and he knew nothing about smartphones and social media. But the principle is still the same. People need people.
It’s hard to say how long we’ll struggle to adapt with the technology era, to find the best way to live with all those new ways to do things and with the new things we do in our way, but more and more we read, see and listen about the dissatisfaction with how we’re becoming hostages from the control of the technology, specially over the younger generations. We all hope all this could head towards solutions more than into problems. It’s important to keep searching for the best way to live life.
If no one is an island (let’s be inclusive here), why the tendency for people to feel comfortable with distance? I hear people complaining about we’re living a crisis of commitment, which is something that I disagree. People are still committed, but not for the things we expect them to be. Influence is changing and today’s word is for us to open our eyes and to deal with this situation. The word is ENCOUNTER. An encounter is more than a meeting. It’s an event that has the power to impact who’s involved on it. It’s not casual, not superficial, not boring. Once we are in an encounter our needs are changed and fulfilled as a result of that experience. For some people is transcendental. It’s transformational.
Maybe we are missing this. We can be living and neglecting that people need to break that “island” condition. People need an encounter that will rock their world. What kind of encounter could it be?
That’s it.
Denison

🇧🇷 “Nenhum homem é uma ilha”. Frase de John Donne no livro Devotions Upon Emergent Occasions and Seuerall Steps in my Sicknes - Meditation XVII, de 1624. Já faz um bom tempo e ele nem sabia sobre smartphones e mídia social. Mas o princípio continua o mesmo. Pessoas precisam de pessoas.
É difícil dizer quanto tempo ainda vamos lutar para nos adaptarmos com a era tecnológica e achar a melhor maneira de viver com as novas coisas e novos costumes, mas cada vez mais lemos, vemos e ouvimos da insatisfação com o quanto temos nos tornado reféns do controle da tecnologia, especialmente sobre as novas gerações. Todos esperamos que isso possa nos levar a soluções mais do que a problemas. É importante continuarmos buscando pela melhor maneira de viver a vida.
Se ninguém é um ilha (vamos ser inclusivos), por que a tendência das pessoas se sentirem confortáveis com a distância? Ouço pessoas reclamando que vivemos uma crise de comprometimento, o que eu discordo. As pessoas se comprometem, mas não com o que esperamos que vão se comprometer. A influencia está mudando e a palavra de hoje é pra abrir os olhos para lidar com isso. A palavra é ENCONTRO. Um encontro mais do que comum. É um evento que tem o poder de impactar quem se envolve nele. Não é casual, superficial, nem chato. Quando estamos nele nossas necessidades são modificadas e preenchidas. Para algumas pessoas é transcendental. É transformador.
Talvez estejamos perdendo isso. Estar vivendo e negligenciando que pessoas precisam quebrar a condição de “ilha”. Precisam de um encontro que abale seu mundo. Que tipo de encontro poderia ser?
É isso.
Denison

PLANTATION OF WORDS / PLANTAÇÃO DE PALAVRAS

🇺🇸Words have more power than we think. Even when people say a picture is worth a thousand words, at the end the whole thing ends up with words. Words can touch, hurt and heal.
I chose to use words in my whole life. I’ve worked with them, tried to bring the best of each one. Explored their meaning, expanded their benefits, found out their synonyms, enriched their power to create reactions. I practiced, studied and learned about them. I searched for their correspondence in other languages, unveiled the semantics, connected with related terms. I saw the results. The good ones and the bad ones. I picked the right and also used the wrong. So they became my friends, my partners.
Sometimes people came to me to tell me I was good with them. In fact, it was more than sometimes. But there were times when some complained that I didn’t do well. Their words also had effect on me and then I grew because of them. That was one of the opportunities I always enjoy: to better understand that, even when words come from different directions, they can be matched and to line up the tune for all.
So I started to see in front of me a plantation of words. I could spread them, plant them, make them to grow and ripe and then generate other words. That process never stops. Because words are everywhere and I have lots of them in the field of my mind. That’s why I’m here. To use them more and more, to multiply their potential. Every Friday I’ll be here reaping one of the words and sharing their power to inspire, like seeds making new words be born and beautify our world.
That’s it.
Denison
🇧🇷Palavras têm mais poder do que imaginamos. Mesmo quando dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, no final tudo acaba mesmo em palavras. Elas podem tocar, ferir e curar.
Eu escolhi usar palavras minha vida toda. Trabalhei com elas, busquei o melhor de cada uma. Explorei seu significado, expandi seus benefícios, descobri os sinônimos, enriqueci seu poder de criar reações. Pratiquei, estudei e aprendi com elas. Pesquisei por sua correspondência em outros idiomas, desvendei a semântica, conectei com termos relacionados. Vi os resultados. Os bons e os ruins. Peguei as corretas e também usei as erradas. Por isso elas se tornaram minhas amigas e parceiras.
As vezes as pessoas vinham a mim pra dizer que fui bom com elas. Na verdade foi mais que "as vezes”. Mas teve as vezes quando alguém reclamou que não fiz bem. Suas palavras também tiveram efeito em mim e cresci por causa delas. Era uma das oportunidades que sempre gostei: entender melhor que, mesmo quando palavras vêm de lugares diferentes, podem se corresponder e sintonizar a todos.
Então comecei a ver diante de mim uma plantação de palavras. Podia espalha-las, planta-las, faze-las crescer e amadurecer e gerar outras. Esse processo nunca termina. Porque palavras estão em todo lugar e tenho um monte delas no campo da minha mente. Por isso estou aqui. Para usa-las mais e multiplicar seu potencial. Cada sexta-feira vou colher uma delas e partilhar seu poder de inspirar, como sementes que fazem novas palavras nascerem e embelezarem nosso mundo.
É isso.
Denison