INTERACTION AND WILLPOWER // INTERAÇÃO E VONTADE

friendly business people interacting during conference break

“For most, interaction is more of a willpower than an ability”.

Some people consider interaction as a challenge. Approaching strangers, getting fit in a group, developing a conversation it might seem easy for some people, but not to everybody. Probably most of people doesn't have this natural ability.

That doesn't mean that, for those who doesn't have this natural ability, they should get accommodated and just accept this situation. Even not having the natural ability to easily interact, human beings are social creatures. We have the natural ability to learn and to develop natural skills. It will depend on our willing to get them. When it comes to interaction, even natural ability will be benefited of a portion of willpower. Natural abilities need to be improved too. Improvement comes with good practices. It requires effort, persistence and positivity.

At the end, this is about fighting against ourselves, not to become a different person, but to bring out the best version of who we are.

That's it.

Denison

“Para a maioria, interação é mais uma vontade do que uma habilidade”.

Para algumas pessoas interação é um desafio. Abordar estranhos, se ajustar num grupo, desenvolver uma conversação pode parecer fácil para algumas pessoas, mas não para todo mundo. Provavelmente a maioria não tem essa habilidade natural.

Não significa que, para os que não têm essa habilidade natural, deveriam se acomodar e aceitar essa situação. Mesmo não tendo a habilidade natural de interagir facilmente, seres humanos são criaturas sociais. Temos a habilidade natural de aprender e desenvolver habilidades naturais. Vai depender de nossa vontade de adquirí-las. Quando se trata de interação, mesmo habilidades naturais vão ser beneficiadas de uma dose de vontade. Habilidades naturais precisam ser aprimoradas também. Desenvolvimento vem com boas práticas. Requer esforço, persistência e positividade.

No final, é uma questão de lutar conosco mesmos, não para sermos uma pessoa diferente, mas para trazer à tona a melhor versão de quem somos.

É isso.

Denison

STARTING IMPROVEMENTS // COMEÇANDO MELHORIAS

“Starting any improvement demands a complete awareness of which level we are starting at”.

Everybody thinks about improving in life, in relationships, in competences. This is normal and good. What happens is most people only think about general improvements and end up never starting any improvement at all.

Improvements require spending energy. Any waste can cost results. When we think about improvements we should think about finding exactly what needs to be improved. That is why have a consultant is a good choice. Consultant's job is to find exactly what needs to be done. The most important when starting is to find what need to be improved and why. The next is to understand the best way to make the process successful and create a dynamic to continuing growth.

Everybody has something to be improved, but not everything needs improvement. I'll give you a tip here: always think about improve your strengths.
That's it.

Denison

“Começar qualquer melhoria requer uma completa conscientização de em qual nível estamos começando”.

Todo mundo pensa em melhorar na vida, nos relacionamentos, nas competências. Isso é normal e bom. O que acontece é que a maioria das pessoas só pensa em melhorias gerais acaba nunca começando nenhuma melhoria.

Melhorias requerem despender energia. Qualquer desperdício pode custar os resultados. Quando pensamos em melhorias deveríamos encontrar exatamente o que precisa ser melhorado. Por isso ter um consultor é uma boa escolha. O trabalho do consultor é encontrar o que precisa ser feito. A mais importante no começo é achar o que precisa ser melhorado e por quê. Depois é entender a melhor maneira de fazer o processo ter sucesso e criar um crescimento contínuo.

Todo mundo tem algo pra melhorar, mas nem tudo precisa ser melhorado. Vou dar uma dica aqui: sempre pense em melhorar seus pontos fortes.

É isso.

Denison

NEW PRACTICES // NOVAS PRÁTICAS

NEW PRACTICES RISE BECAUSE WE BECOME INEFFECTIVE ON THE OLD ONES

Stephen Covey says that because of the constant of change we usually face new challenges. New challenges call for new response to meet that challenge.

This is the essence of new practices. Is not to make people’s life crazy, as a lot of people think. Is a result of an effort to face new challenges, a necessary effort. So it’s also necessary to let the old practice go. It worked for a while, but results are more important than keep inefficient practices.

Two things are important in this scenario: first, the change itself causes discomfort, so help people to overcome that. Second, keep the potential result on people’s sight. The more they face the improvements the better they will embrace it.

That's it.

Denison

NOVAS PRÁTICAS SURGEM PORQUE NOS TORNAMOS INEFICIENTES NAS ANTIGAS

Stephen Covey fala que por causa da constante da mudança normalmente enfrentamos novos desafios. Novos desafios pedem por novas reações que correspondam ao desafio.

Essa é a essência das novas práticas. Não é enlouquecer as pessoas, como muitos pensam. São o resultado de um esforço para vencer os novos desafios, um esforço necessário. Também é necessário se desapegar das antigas práticas. Funcionaram por um tempo, mas os resultados se tornam mais importantes que as práticas ineficazes.

Duas coisas são importantes nesse cenário: Primeiro, a mudança em si já causa desconforto, então ajude as pessoas a superarem ele. Segundo, mantenha os resultados potenciais à vista das pessoas. Quanto mais visualizarem as melhorias mais vão se envolver com elas.

É isso.

Denison

OVERLAPPING // SOBREPOR

🇺🇸 It’s amazing the power of the soil! It gives strength to the seed to grow until its full potential. Who plants, knows that once the soil is revolved and its nutrients are refilled it’s ready to a new harvest. Words grow as seeds in the soil of the mind. Our mind needs to be renewed too, to continue to do amazing things.
 We can scatter seed over the same soil, same way we can redo thing over and over in life. We call this OVERLAPPING, the today’s word. The origin comes from the proto-germanic ubar, “above, superior” and lappô, also from proto-germanic, that means “piece of cloth, garment”, like an apron. Lappô was a loose part of a coat, like a flap, worn over the clothes. So overlapping was to give another turn with that flap around the body. Is to do a thing over something done before.
 When a racer completes a turn over the start line it’s an overlap. When we cover a space with something, we’re overlapping. When we find that we have something in common with someone else it’s because we overlapped at that point. Overlapping is related with a lot of things in life. It’s not only about the clothes that we wear. It’s about moving on when bad situations happen, it’s about to give a new look to something old, it’s about how we build and improve our relationships. It’s related with our ability to overcome our own potential. It’s not giving up, but keep moving forward to make it better than before. 
 When we note that we’re turning around the same point, it’s time to ask ourselves: Am I leaning here? If the answer is “yes”, good you’re growing. If it’s “no”, try to start giving laps over something else. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 É incrível como o solo tem poder! Ele dá força para a semente crescer em todo seu potencial. Quem planta sabe que quando o solo é arado e os nutrientes repostos, ele está pronto pra outro plantio. Palavras crescem como sementes na mente, que precisa ser renovada para fazer grandes coisas.
 Podemos espalhar sementes pelo mesmo solo, assim como podemos refazer mesmas coisas na vida. Isso é SOBREPOR, a palavra de hoje. Origem latina, “sobre” vem de super, “acima” e “pôr”, nesse caso, vem de pōnere, “colocar, posicionar”. O interessante desta palavra é o amplo sentido que ela ganha por causa do termo “super” que vem do grego ek, “fora” e hupér, “acima”. Algo que ultrapassa.
 Existem três maneiras de entendermos sobrepor. Primeiro, é algo que é colocado em cima de outra coisa, como uma pilha de pratos. Segundo, é algo cobre outra coisa, como um papel de parede que esconde a pintura. Terceiro, é algo que supera outra coisa. Se torna maior, melhor e faz com que aquilo que foi superado seja desconsiderado, como quando um recorde é quebrado. Em tudo, sobrepor tem a ver com a vida. Na vida ajuntamos, como pratos guardados uns sobre os outros. Renovamos, como dar uma aparência nova no ambiente. E, em especial, seguimos em frente, superando o que já passou.
 Na vida, chegam momentos em que pensamos em mudanças. Nesses momentos é muito importante saber o que e como sobrepor. Mudar pra ficar igual não adianta, o bom é ir além de onde estamos. 
 É isso.
 Denison