PLUGGING INTO THE OUTLET // LIGANDO NA TOMADA

🇺🇸 Since humanity learned how to use electricity our live has been changed. Nights became a new part of our time and people have a lot to discover on it. We started to do things faster, used resources to supporting live, since freezers to hospital machines. Electricity keep things running around us.
 Now it seems we can’t live anymore without outlets around us. People come to new places, get inside cars and the first question is: do you have an outlet? When we build buildings we plan to have lots of outlets available in the walls. Even though we still plug adaptors on the outlets so we can connect more devices on them. It’s totally part of our life in almost everything we do.
 Even a very common thing like plugging things into outlets is facing a transformation. Now we have wireless charges ou inductive charging. This old technology is now being used to fulfill its original purpose, when James C. Maxwell predicted electricity would be shared wirelessly, in 1864. Old habits will be living with new ones. Sometimes is the best way to adapt, to engage into transformation. The more we can connect ourselves into how live is changing, the better we’ll find out the best way to enjoy life. Specially because we don’t know how much we’re going to live and how many new things we’ll see in life.
 Every time you plug something into the outlet, or place it on a wireless charger consider, how plugged are you into life? It’s not possible to live in the future, it’s complicated to live stuck in the time that has passed.
That's it.
Denison 

🇧🇷 Desde que a humanidade aprendeu a usar a eletricidade a vida mudou. As noites se tornaram uma nova parte de nossas horas e as pessoas querem muito descobrir mais sobre elas. Fazemos coisas mais rápido, amparemos a vida com geladeiras até aparelhos hospitalares. A vida segue com a eletricidade.
 Agora parece que não conseguimos viver sem tomadas ao redor. Pessoas chegam a novos lugares, entram em carros e logo querem saber onde tem uma tomada. Quando construímos prédios planejamos muitas tomadas pelas paredes. Até plugamos adaptadores nas tomadas para podermos conectar mais aparelhos nelas. Já é parte de nossa vida em quase tudo que fazemos.
 Mesmo algo tão comum como ligar na tomada está sendo transformado. Temos carregadores sem fio. Essa velha tecnologia está sendo usada para cumprir seu propósito original, como predisse James C. Maxwell, em 1864. Velhos hábitos e novos hábitos vão conviver. As vezes a melhor maneira de adaptar é se envolver com a transformação. Quanto mais pudermos nos conectar com as mudanças da vida, melhor descobriremos como melhor desfruta-la. Especialmente porque não o quanto ainda iremos viver, nem quantas novas coisas veremos na vida.
 Toda vez que ligar algo na tomada, ou colocar no carregador sem fio considere, quão plugado está com a vida? Não da pra viver no futuro e é complicado viver preso a um tempo que já passou. 
É isso.
Denison 

DRIVERLESS CARS // CARROS AUTO-DIRIGÍVEIS

🇺🇸 One of the subjects of the moment. The transportation system is going through changes that will create unusual conditions for almost everybody. So far, we can tell that a lot of work in technology have been done and we don’t know yet when this impressive changes are going to happen.
 We’re expecting that there’ll be more intelligent cars running and people will start to use more and more the services that drive passengers from one point to another rather than having the ownership of a car. It’s like one thing will lead to the other and soon we’ll know how our life will be really affected by that.
 What the automotive industry says is they are not building a car, they are building a driver. So is not about the design, or the power of the car, is about the nature of the intelligence behind all the electronic processors. How to make a machine to respond positively and safely in an environment where lives are at risk. According to them, they are trying to prove that is possible. An interesting declaration shows the industry has all the technology that they need. “When you’re 90% done, you still have 90% to go”. Emblematic, right? Then it’s explained, “90% of the technology takes 10% of the time”. It’s like when you about to make a trip. There’re a lot of things to do when you’re packing, and while the one thing, which is to leave from where you are and to arrive at the destination, is what will take longer.
 Dealing with time could be frustrating. It’s very difficult to predict when things will happen. We can try our best, but time can be tricky. If you waiting for the future, remember, it’ll come with nobody at the wheel. 
That's it.
Denison 

🇧🇷 Um dos assuntos do momento. O sistema de transporte vai passar por mudanças que vão criar condições incomuns para a maioria. Até agora, podemos dizer que muito trabalho em tecnologia tem sido feito e não sabemos ainda quando essas mudanças vão acontecer.
 Esperamos por mais carros inteligentes nas ruas e pessoas usando mais dos serviços de transporte de passageiros de um ponto ao outro, ao invés de terem a propriedade de um carro. Uma coisa vai levar à outra e logo vamos saber como nossa vida vai ser realmente afetada com tudo isso. 
 O que a indústria automotiva diz é que não estão construindo um carro, mas sim um motorista. Não se trata de design ou potência do carro, e sim da natureza da inteligência por detrás de todos aqueles processadores eletrônicos. Como fazer uma máquina responder segura e positivamente em um ambiente onde vidas estão em risco? Eles dizem que isso é possível. Uma declaração interessante diz que a indústria tem toda tecnologia que precisam. “Quando você fez 90%, ainda tem mais 90% pra fazer”. Emblemático, né? A explicação segue, “90% da tecnologia toma 10% do tempo”. É como quando você vai viajar. Tem um monte de coisas pra fazer enquanto está arrumando as malas, enquanto uma única coisa, que é sair de onde está e chegar ao destino, é o que vai levar mais tempo.
 Lidar com o tempo é frustrante. Difícil prever quando tudo vai acontecer. Podemos fazer o melhor, mas o tempo nos surpreende. Se você espera pelo futuro, lembre que ele vai chegar sem ninguém ao volante.
É isso.
Denison 

LEADER TODAY AND LEADER ALWAYS / LÍDER HOJE E LÍDER SEMPRE

🇺🇸 Time has killed some of the good legacies. It’s difficult to imagine how long can an influence endure. Same things begin to have less effect over time. The interest changes, goals are shifted, response becomes different. If we follow this path we’ll be still very clueless about what’s coming next.
Although predictions about the future are still blurred, we know our march is still on. Opening ways to guide people to a better tomorrow, laying down foundation to help the casting vision expansion, the making decision process, the human developing and empowering initiatives. I’m talking about creating steps toward the future. How what we’re doing today will build the so expected tomorrow?
Some times what happens is we start initiatives trying to lead people into action, but those actions won’t last long because we’re just agitating people. Yes, to agitate can be good for a while, but how far can we go on that? Usually ends sooner than we expect and affects not only the results, but people’s credibility too. Once it has been tried before and didn’t work, the ideas tend to be discarded, even when we fix them. We need to do things that can last longer. The best way to do this is to create actions that generate another actions. I’m talking about create a movement. It’s not only agitating, it’s to create a flowing for people to get engaged, empowering them to create adjustments and to revitalize motivation. If we think time is passing by so fast and changes are accelerated, then future is closer than we think.
You want to lead or maybe you’re a leader already, so the thing is: you’re more needed than you think. You are need for today and for tomorrow. For how long do you want to stay? 
That’s it.
Denison

🇧🇷 O tempo tem matado bons legados. É difícil imaginar quanto tempo uma influência pode durar. As mesmas coisas começam a ter menor efeito com o tempo. Interesses mudam, objetivos são alterados e a resposta fica diferente. Se seguirmos este caminho estaremos bem perdidos sobre o que está por vir.
Embora previsões para o futuro ainda sejam embaçadas, sabemos que temos que seguir em frente. Abrir caminhos para guiar pessoas a um amanhã melhor, fundamentando os processos de expandir a visão, tomada de decisões e iniciativas de desenvolvimento e capacitação humana. Estou falando de criar degraus para o futuro. Como o que fazemos hoje vai construir o tão sonhado amanhã?
O que acontece, às vezes, é que começamos a tentar liderar pessoas para ação, mas essas ações não duram muito porque estamos só agitando. Sim, agitar pode ser bom por um tempo, mas aonde vamos chegar com isso? Normalmente termina antes que esperávamos e afeta não apenas os resultados, mas a credibilidade das pessoas. Como já tentamos antes, as idéias tendem a ser descartadas, mesmo se as corrigimos. Precisamos fazer coisas que durem mais tempo. A melhor maneira de fazer isso é criar ações que gerem outras ações. Estou falando de criar movimento. É mais que agitar, é criar uma sequência para envolver pessoas, capacita-las a fazer ajustes e revitalizar a motivação. Se pensamos que o tempo passa rápido e as mudanças são aceleradas, então o futuro está mais perto do que pensamos.
Você quer liderar ou talvez já seja líder, então o negócio é o seguinte: precisam de você mais do que imagina. Precisam hoje e amanhã. Por quanto tempo você quer estar por aqui?
É isso.
Denison